Quantas e quantas  vezes damos preferência para leituras estrangeiras, livros de autores famosos no mundo todo ou que a gente nunca viu nem falar na vida? Isso é ótimo, conhecer diariamente novos autores, nos proporciona experiências e descobertas incríveis, além de nos apresentar novas culturas, linguagens, e muitas outras coisas que só a leitura pode nos dar. Mas já parou pra pensar que bem perto de nós podem estar escritores tão fantásticos quanto qualquer outro, de quaisquer partes do mundo?

A nossa autora do mês, para encerrar o ano muito bem é justamente uma mineirinha, que está aqui do nosso lado, Marina Carvalho.  Ela é natural de Ponte Nova, Zona da Mata mineira, é professora de literatura e língua portuguesa e ainda é formada em jornalismo pela PUC Minas. A carreira de escritora de Marina não é longa, contudo já conta com oito livros publicados e milhares de cópias vendidas, além de crônicas e contos.

Marina que sempre sonhou em ser escritora, colocar suas próprias histórias no papel, lançou seu primeiro livro em 2013, o romance “Simplesmente Ana”, e a partir daí não parou mais. Um ano depois, lançou a continuação da história da princesa da Krósvia, “De Repente Ana”. A série virou trilogia e em 2015, veio “Elena – A filha da princesa”. Entre os lançamentos da trilogia Ana, Marina lançou em 2013  o e-book de “Ela é uma fera” e publicou, o romance “Azul da cor do mar”(2014). Em 2016, conhecemos o primeiro livro da série “Tempos de ouro” com o romance histórico “O amor nos tempos do ouro”, que ganhou uma continuação em 2017 com a “A histórica de Malika”. O mais recente lançamento é o Spin off “A menina dos olhos molhados”

Foi uma amiga que incentivou Marina a ter coragem de investir nos livros e lançar suas histórias para o Brasil. Claro, que hoje somos muito gratos, já que que pudemos conhecer suas histórias apaixonantes, delicadas, sensíveis, transformadoras, e, antes de tudo, muito bem escritas. A principal  marca dos livros da Marina é a presença dos cenários mineiros, de forma sutil  ela insere diversos elementos de Minas e de BH na história mostrando que é possível fazer uma literatura nacional de qualidade, com uma história simples, bem construída, usando a nossa linguagem diária e os problemas comuns a nós todos. É muito bom identificar os locais que conhecemos como a Praça da Liberdade, Fórum Lafayette, Kahlúa Café na rua Guajajaras, Avenida do Contorno, Mercado do Cruzeiro. Ver o casal principal se reconciliar durante um passeio na Praça da Assembleia. Saber que os nossos personagens torcem para os principais times mineiros, Cruzeiro e Atlético, vão ao Mineirinho ver a seleção brasileira de vôlei, fazem compras nos supermercados daqui, ouvem Rádio CBN e Jovem Pan. Se precisar ver um filminho, eles vão ao Cine Belas Artes e passam por bairros como Sion, Belvedere, Gutierrez e Aglomerado da Serra. Frequentam os mesmos shoppings, gente como a gente. Assim como conhecemos outros países, e suas culturas através da literatura estrangeira, temos a chance de nos conhecer e principalmente apresentar nosso estado e a riqueza da nossa cultura por meio da literatura. E com escritoras como a Marina Carvalho a certeza é de que estamos muito bem representados. 

Conheça um pouco mais da obra de Marina Carvalho:

“Simplesmente Ana”:

Ana é uma jovem de 20 anos que mora com sua mãe e leva uma vida tranquila. Cursa direito e tem muitos amigos. Ela não conhece seu pai e fica em choque quando descobre que ele é  Andrej Markov, o rei da Krósvia! Imagina o susto que ela leva ao descobrir que, na verdade, é uma princesa. A história é envolvente. É um conto de fadas leve, lindo e moderno. O livro é ótimo pra te fazer sonhar e suspirar. Apesar de ser moderno e atual, ainda encontramos aqueles elementos que amamos nos contos de fadas: um príncipe apaixonante, um rei bondoso, um “dia de princesa”, roupas de baile e uma “bruxa” bem insuportável. Leia a resenha aqui

“De Repente, Ana”:

Na continuação de ‘Simplesmente Ana’, Ana tem que lidar com um acidente de seu pai, que a torna a Rainha da Krósvia, assumindo o posto de seu pai enquanto ele está em coma no hospital. Deste momento em diante ela tem que lidar com seus medos, inseguranças, e claro, diplomacia e governança. Se isso não é suficiente pra deixar qualquer um apavorado, nada mais é! Ana continua aquela garota teimosa, irônica e engraçada (que amamos!), porém, a partir desse momento, percebemos também uma Ana muito fragilizada e um pouco confusa. Mas é uma história cheia de aventura, confusões, e, como sempre, amor. Leia a resenha aqui

“Elena, a filha da princesa”:

Vinte anos se passaram desde o fim da história de De repente: Ana. A princesa da Krósvia agora tem 44 anos e ainda vive feliz ao lado do marido, Alexander Jankowski, e da filha, Elena, que resolveu dar um tempo no curso de Línguas para ser voluntária em regiões de pobreza extrema no continente africano, quase matando o pai do coração. Seis meses após ter partido, Elena é obrigada a voltar a Krósvia: Ana descobre que está grávida, e Alex quer a filha por perto, para apoiar a mãe, que enfrenta uma gravidez de risco e não anda passando muito bem. Elena retorna a Krósvia, para a felicidade da família. Ela também demonstra alegria por estar de volta, mas sente um vazio por ter deixado para trás tanta gente que contava com sua generosidade. Agora em casa ela vai reencontrar Luka, seu primo e antiga paixão. O encontro é intenso. Luka não esperava encontrar uma Elena crescida e dona de si, ele ainda estava preso na imagem de sua prima pequena, tímida e sem graça. Nesse momento, a história dos dois começa a mudar… Leia a resenha aqui

“Amor nos tempos do ouro”:

Essa é uma doce e delicada história que se passa no período colonial do Brasil. Um típico romance de época. A franco-portuguesa Cécile perde toda sua família em um trágico acidente e é obrigada a vir para o Brasil para ficar aos cuidados de seu único parente, um tio inescrupuloso e interesseiro que pretende casar a moça com um grande dono de escravos das Minas Gerais, coisa que ela abomina com todas as forças. Esse tio envia a moça para Minas Gerais sob os cuidados de Fernão, um homem que lhe presta serviços de vez em quando. O que Cécile não esperava é que essa viagem fosse ser o início de grandes mudanças em sua vida. A principal delas, a descoberta do amor! Leia a resenha aqui

“A história de Malika”:

Neste segundo livro dos tempos do ouro, conhecemos mais a fundo a trajetória da ex-escrava Malika, que nos foi apresentada lá no primeiro livro. Ela é uma mulher forte e decidida, que hoje vive livre na fazenda de Fernão e Cécile. Malika tem um filho que é razão da sua existência e vive uma luta interna diária, dividida entre o amor que sente pelo pai de seu filho, seu ex-patrão Henrique, e o medo de lhe dar uma chance e sofrer novamente. Uma história linda e tocante, sobre perdão, liberdade, e sem dúvidas, o poder que o amor verdadeiro tem de quebrar qualquer barreira. Leia a resenha aqui

Azul da cor do Mar”: 

Rafaela Vilas Boas sonha desde o início da adolescência com o garoto que, durante suas férias, via passar, perto do mar, carregando uma mochila xadrez. A ideia fixa de o encontrar não a impediu, porém, de ser uma adolescente alegre e muito decidida. Ela entra para a universidade; seu sonho é ser jornalista, e ela consegue um estágio no melhor jornal de Minas Gerais. O trabalho é incrível, mas seu colega de trabalho, Bernardo, não é a pessoa mais simpática do mundo, apesar da beleza e competência. Uma história que inicia com muita implicância e, aos, poucos vai dando lugar a um amor surpreendente.

A menina dos olhos molhados“: 

Esse livro é sequência de “Azul da Cor do Mar” em que podemos ver os acontecimento do primeiro livro por meio da visão de Bernardo.

“Ela é uma fera”:

No interior de Minas Gerais, Clara, uma menina de traços delicados, tem muitos admiradores, inclusive Henrique, o garoto mais popular da escola, que fará de tudo pra sair com ela, inclusive trapacear. É que o pai de Clara decretou que ela só poderá sair com alguém depois que sua irmã mais velha, Carolina, arrumar um namorado. Parece simples: basta que Henrique arrume um namorado para Carol e siga com seu sonho de ficar com Clara. Determinado, ele arruma o tal namorado para Carol: Pedro, o bad boy. Mas o que nem Henrique, nem Clara, nem Pedro imaginavam é que a intragável Carol iria se comportar como uma pessoa insuportável ao lado de Pedro, jogando água em todos os planos de romance de Henrique e Clara. Caberá a Pedro dar um bom resultado a esta situação, mas será que ele vai conseguir conquistar o coração de gelo de Carol e, finalmente, domar a megera? Ela é uma fera! é uma releitura do clássico A megera domada, de William Shakespeare.  

 

Ao longo do mês de dezembro vamos apresentar resenhas, curiosidades e um ping pong com a escritora.

Quer ver o seu autor preferido nesta sessão? Envie sua sugestão para contato@literalmenteuai.com.br

 

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *