Jonas  – Um milhão de finais felizes 

Uma das coisas que mais gostei no livro Um milhão de finais de felizes foi a identificação e proximidade dos personagens com a nossa realidade. São dramas comuns ao nosso dia a dia, vividos por personagens que costumo dizer são “gente como a gente”.

“… não faço ideia de como escolher um lugar legal pra impressionar o Arthur e ao mesmo tempo não acabar com o meu vale refeição pelo resto do mês.” (Pág151)

Por isso, senti tanta empatia pelo Jonas, um protagonista imperfeito, inseguro, com autoestima baixíssima, mas um coração humilde e simples. Um garoto brasileiro, de família pobre, que pega trem todo dia, lava vasilha, ajuda a mãe, que sonha com bem pouco, só quer viver sua vida em paz. E por mais simples que isso possa parecer, este livro vai te mostrar que não é. 

Jonas é um garoto que vive a opressão de uma família tóxica e precisa esconder diariamente sua sexualidade dos pais. Cada dia é literalmente uma luta para fugir das cobranças do pai, não chatear a mãe e manter seu emprego no Rocket Café.

“Eu só preciso correr de um lado para o outro agradando um pouco a minha mãe e não desagradando o meu pai até o dia em que puder sair de cada e não ter que me preocupar em agradar ninguém além de mim mesmo.” (pág.183)

Sendo o narrador de sua história, Jonas se abre para o leitor, dividindo todas as suas angústias. Em alguns momentos da leitura essa cumplicidade é tão grande que me peguei em vários momentos conversando alto com ele e dando conselhos: “Manda ir à merda”.

Acompanhamos cada dia, torcendo firmemente para que tudo dê certo, que ele fique bem. A vida de Jonas começa a mudar quando ele conhece Arthur, um cliente do café em que trabalha. Apesar da timidez e da baixíssima autoestima, Jonas dá uma chance ao amor e esse pequeno passo vai mudando o rumo da sua vida.

Mas não é uma mudança mágica, repentina, pelo contrário. É uma construção diária, fortalecendo a sua autoestima, autoconfiança, e aos poucos Jonas vai se libertando de paradigmas que o atormentam e que impedem sua felicidade.

Um milhão de finais felizes é um romance LGTB que promove uma verdadeira renovação no conceito de família, amizade e felicidade. Afinal, família não é apenas “aquele grupo de pessoas que vivem sobre o mesmo teto”, é a que te acolhe, que te apoia, te ensina, compartilha o amor e o respeito.

Quantos finais felizes cabem em uma história? E na vida real? Quais finais a sua história de vida já teve? Tudo depende de um ponto de vista, e cada situação vivida tem um final. Se ele será feliz ou não, cabe apenas a você decidir.

Eu queria ser amiga do Jonas até perceber que ao meu lado há milhares de Jonas passando exatamente pelos mesmos problemas que ele enfrentou, e que talvez eu possa ser aquela amiga fiel e companheira nas horas mais difíceis.

Jonas é um crush nacional, real e que pode estar ao seu lado neste momento.

Veja a resenha do livro Um milhão de finais felizes clicando aqui 

Quem nunca teve um crush literário. Listamos vários deles na coluna  “Meu crush literário”

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário