A Bruxa não vai para a fogueira neste livro | Amanda Lovelace

A Bruxa não vai para a fogueira neste livro é o segundo livro da escritora americana Amanda Lovelace.

A obra, que figurou na lista das mais vendidas em 2018, também ganhou o prêmio Goodreads Choice Awards, na categoria Poesia.

Tudo em A Bruxa não vai para a fogueira neste livro chama atenção. O título, a métrica, a força dos versos e, principalmente, a temática feminina.

“no correr

dos séculos

os animais evoluem para

sobreviver ao meio ambiente.

então

o que vai acontecer

quando as mulheres

finalmente

aprenderem

também

a

revidar…” (pág25)

Com referências de mulheres que marcaram época, personagens literárias e citações da internet, Amanda Lovelace dá voz aos anseios femininos em um papo reto, direto, sem meias palavras. Ela escancara tabus, condena a cultura machista e de violência contra a mulher, dá preciosas lições de autoestima, e tenta quebrar preconceitos (ainda que das próprias mulheres).

“eu não

uso maquiagem para os outros

da mesma maneira

que não

decoro

minha casa para os outros.

aqui é meu

lar

&

tudo que faço

é para

mim”

-tweet de 28 de setembro de 2016

Há alguns anos se procurássemos nas livrarias obras que conversasse diretamente com as mulheres, para além dos tradicionais romances, certamente não encontraríamos com a mesma facilidade como hoje. Isso é muito bom! É como se essas escritoras conversassem diretamente conosco, dando conselhos, alertando ou simplesmente nos fazendo enxergar a realidade.

Graças ao empoderamento feminino, as escritoras têm transformados seus pensamentos, histórias e reflexões em obras literárias. E as editoras percebendo que esse tipo de literatura tem seu próprio espaço, com um público segmentado que anseia por literatura de qualidade, e uma temática urgente: o feminismo.

O ritmo da leitura é intenso, apesar de que dá pra apreciar e observar atentamente cada citação e ponderar cada dose de protesto. São poucas páginas e muito conteúdo implícito que vai desde abuso a distúrbios alimentares, violência, entre outros. É uma leitura que desperta vários sentimentos. Para mim, o principal foi a autonomia para enfrentar de frente a luta diária de ser mulher.

Entendam que esse tipo de literatura foi feito especialmente para um público, que muitas vezes precisa apenas de uma página para mudar o rumo de sua vida.

eles

vão tentar

roubar

sua luz

 

usá-la como

uma arma

contra

você mesma.

 

mas há

uma

boa

notícia:

 eles

não têm

perseverança para

controlá-la

 como você tem. (pág.55)

Com uma alusão a inquisição em que milhares de mulheres foram queimadas sob a acusação de bruxaria (incomodar a sociedade), no século Xlll, A Bruxa não vai para a fogueira neste livro, traz fantasmas reais que assolam as mulheres hoje e as levariam facilmente para a fogueira em outras épocas. 

Contudo, aqui elas se libertam dessas amarras, como quem diz? Hoje não!! Hoje seu machismo não vai me matar. Hoje seu julgamento não vai me condenar. Sou livre, hoje a bruxa não vai para a fogueira, pelo menos não neste livro.

Leia todas as nossas resenhas aqui!

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário