Em Infinito + UM, Amy Harmon entrega (mais uma vez) uma história sensível e emocionante

Infinito + UM, Beleza Perdida, Correndo Descalça e Simplesmente Blue são algumas das obras da romancista americana Amy Harmon que caíram nas graças dos leitores brasileiros, com nota média acima de 4, na rede social Skoob. 

Amy Harmon não cansa de encantar e surpreender com histórias tocantes, daquelas capazes de fazer você refletir e repensar a vida. Infinito + Um não é diferente. Nesta obra, ela aborda o suicídio, ressocialização prisional, o preço da fama, ganância, drogas, violência, entre outros temas relevantes e atuais, trazendo à cena literária um revival (pacifico) do famoso casal de criminosos, Bonnie e Clyde

A coincidência dos nomes é apenas uma das muitas que vão cruzar os caminhos da estrela do country, Bonnie, e do ex-presidiário, Clyde. Os jovens têm suas histórias marcadas por perdas irreparáveis, mas enquanto ela quer acabar com a sua vida, ele só deseja recomeçar e ter uma chance de viver em paz.

“Não éramos tão diferentes, Finn e eu. Prisões vêm em muitas cores e formas diferentes. Algumas são douradas, enquanto outras têm uma porta que bate. Mas algemas de ouro ainda não algemas.” (pág. 138)

 Tomada pela desesperança e uma série de acontecimentos (spoilers), Bonnie toma uma atitude desesperada — pular de uma ponte no final da sua mega turnê e pôr fim a uma vida em que ela é obrigada a viver sob uma rigorosa vigilância da avó, que controla não apenas sua carreira, mas seu dinheiro, a comida e até com quem ela se relaciona. Privação é a palavra que define a vida da superstar.

“Naquele momento, eu não tinha mais nada que fosse meu. Minha avó tinha roubado tudo. Cada parte de mim. Assim como dizia a música. E depois ela vendeu tudo. E eu tinha permitido aquilo.” (pág. 53)  

Depois que Clyde saiu da prisão, tudo que ele deseja é refazer sua vida. Apesar de ser superinteligente e um gênio na matemática, ele sofre preconceitos pelo passado na prisão. Clyde decide se mudar para Las Vegas e aceitar uma proposta para trabalhar em um cassino. Na saída da cidade ele vê Bonnie pendurada na ponte e não consegue seguir em frente, sem antes ajudá-la. Apesar do histórico, Clyde é um cara legal e tem um bom coração.

O que era para ser apenas um salvamento se transforma em uma jornada de autoconhecimento, fugas alucinantes, situações inusitadas, amizade, romance e libertação. Bonnie embarca na viagem com Clyde, com o intuito de aliviar sua mente e se desligar do mundo real. Clyde aceita dar carona para ela, a princípio pela empatia, e continua nessa jornada pela paixão que reluta para se entregar.

“Finn sabia como ele se sentia, e foi atrás da garota que não tinha trazido nada além de confusão para sua vida e fogo para seu coração desde o instante em que a tinha conhecido.” (pág.251) 

A jornada dos dois é um prato cheio para os tabloides sensacionalistas e aqueles que querem se promover em cima da história. Com isso, diversas coincidências entre a história original pipocam com os boatos, alimentando o imaginário do povo e as especulações maldosas. Mas é uma jornada que, por vezes, parece sem sentido algum. Bonnie poderia ter resolvido a questão com Clyde usando seu poder e influência, pegando um avião para qualquer lugar do mundo. Poderia ter curtido suas férias em paz com seu novo amor.

Infinito + UM é uma história rica em conhecimentos musicais e matemáticos — o que justifica várias citações ao longo da leitura, além do título do livro e dos capítulos. Mais uma vez, Amy nos entrega uma história robusta, com muitos detalhes e uma explosão de múltiplos sentimentos.

Mais novidades do mundo literário, continue navegando!

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *