O Vilarejo, do Raphael Montes é daqueles livros que você já, de cara, entende que não será suficiente. E quando você termina de ler tem certeza: podia ter muito mais. É um livro muito pequeno, com potencial para muito mais, mas que consegue, em suas poucas páginas, um mérito que muito calhamaço por aí deixa a desejar. Ele te prende, te envolve e faz você ficar com aquele gostinho de quero mais. Raphael tem uma capacidade incrível de escrever narrativas fluidas, instigantes e que  te prendem do começo ao fim. Essa é uma das características que mais admiro nele, sua habilidade de fazer com que você anseie por mais e mais. E quando você cai em si, são três da manhã.

O Vilarejo é o único livro do autor que não é um romance, mas sim uma coletânea de sete contos, e o tema é o terror. Os contos são super curtinhos e se passam no mesmo vilarejo, em tempos variados, mas se conectam de alguma forma, mesmo que muito singela. O leitor deverá estar bem atento para não deixar as conexões passarem batido. Mas o que mais chama atenção é que o pré e posfácio são o elo que amarra a história dando a ela um começo e um fim. Os contos são baseados nos sete pecados capitais apresentados pelos demônios que os invocam no ser humano.

O livro ainda é um caso à parte devido a sua incrível edição toda ilustrada. E as ilustrações são maravilhosas, dando ao livro uma beleza diferenciada, aumentando ainda mais a aura sombria e chocante dos contos.

Então, se você é amante de terror, fique a vontade para aproveitar essa obra e se deliciar com um livro típico do gênero, cheio de surpresas, tramas interligadas e muito bem escrito. O Vilarejo vai deixar você com aquele gostinho de quero mais e o mais importante, vai deixar o questionamento: Será mesmo que é o demônio que faz com que sejamos maus? Reflitam! 

Raphael Montes é o nosso autor do mês de novembro. Veja mais aqui!

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário