A Livraria Mágica de Paris – Nina George

Sabe aquele livro que te toca a alma e te conquista desde o primeiro capítulo? Pois é,  a “Livraria Mágica de Paris” me conquistou logo nas primeiras páginas e entrou para a minha lista de melhores leituras de 2017. 

Me encantou profundamente…

O livro “A Livraria Mágica de Paris” conta a história de um livreiro chamado Jean Perdu. O personagem não é um livreiro comum, na verdade, ele se denomina um farmacêutico literário, que receita remédios (livros) que curam dores e doenças da alma. Para Perdu, alguns livros são mais que médicos, são companheiros de uma vida inteira, são o safanão que você precisa, ou simplesmente um querido amigo que te aquece nos momentos de melancolia. E que os livreiros, não cuidam apenas dos livros, na verdade, os livreiros cuidam de pessoas. Através da personalidade dos clientes e de algumas perguntas feitas por Perdu, ele é capaz de saber qual livro receitar, para cada cliente. E através da leitura dos livros, os sofrimentos de seus clientes são amenizados. Isso é lindo, né?

Porém, apesar de Perdu receitar livros maravilhosos, ele mesmo possui dores que não consegue curar. Sua própria alma está machucada, por causa de uma desilusão amorosa do passado. A sua bela Manon partiu enquanto Perdu dormia, deixando apenas uma carta. Durante 21 anos, Perdu tentou ignorar essa carta e seu passado, tornando-se um homem solitário. Por medo e orgulho, ele evitou a todo custo ler a carta deixada por sua amada Manon. Por todos esses anos, Perdu também evitou entrar no quarto onde os dois viveram a sua intensa história de amor. Porém, um acontecimento faz com que Jean fique diante da carta de Manon e de seu doloroso passado. Uma série de acontecimentos fazem com que Monsieur Perdu enfrente o seu passado e saia em busca das respostas, de algumas perguntas que ele guardou durante anos.

A edição é linda, possui várias dicas de livros, quero dizer, receitas de remédios para a alma. Encontramos também algumas receitas de pratos culinários maravilhosos. No decorrer do livro, Jean Perdu ainda diz: “Há livros que são escritos para uma única pessoa”. p.204. 

Talvez, esse livro tenha sido escrito apenas para mim, talvez você não se apaixone por ele, como eu me apaixonei. Mas, espero sinceramente, que este seja um livro escrito para milhares de pessoas, porque mais pessoas precisam sentir o que eu senti ao ler cada página. É uma leitura maravilhosa, que expressa muito bem o amor de um homem pelos seus livros e o quão importante um livro pode ser, para a vida de uma pessoa.

E você? Conhece algum farmacêutico literário, que sempre te receita bons livros?

No Resenhando você encontra resenhas de todos os gêneros literários.

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário