Como se vingar de um cretino | Suzanne Enoch

Sabe aqueles dias que você está meio sem inspiração, nada tem graça e nada prende sua atenção? Então, essa é a minha história com o livro Como se vingar de um cretino da autora Suzanne Enoch.

Eu estava meio borocoxó, precisando de um livro daqueles que te prende de uma forma tão intensa, que parece que fazemos parte da história. Então procurei minha consultora literária e amiga Elis Rouse, com o pedido: “Lis preciso ler um livro que seja a minha próxima ressaca literária”. E mais uma vez ela acertou em cheio.

O título já é bem sugestivo né… Como se vingar de um cretino é a saga de uma jovem dama que foi alvo de uma aposta seis anos atrás, que não apenas a deixou de coração partido, como fechou todas as portas para o amor. Aos 24 anos, Lady Georgiana não quer se casar e pensa em ficar solteirona mesmo, e investir sua enorme fortuna em prol da caridade, já que não se submeteria a nenhum homem para correr o risco de ser cruelmente atingida como fez Lorde Dare. 

A narrativa se passa em Londres e é um romance de época tradicional. Lady Georgiana Halley e o visconde Tristan Dare, não escondem a antipatia mútua, chegando a quebrar regras do decoro ao trocarem farpas em público e até mesmo algumas agressões, quando Lady George decide usar o leque como arma. Esse clima deixa a história mais interessante e engraçada, pelo menos para quem, que assim como eu, adora uma provocaçãozinha vez ou outra.

Ao ver Lorde Dare continuar partindo corações, Georgiana, uma solteirona convicta e irreverente, decide colocar em ação um plano de vingança, cujo objetivo é ensinar uma lição ao libertino.

“ – ah, ajudará, sim…quando colocarmos nossas regras em prática – retrucou Georgiana. – Proponho que cada uma de nós escolha um homem e lhe ensine o que ele precisa saber para impressionar uma dama adequadamente. ” (Pág. 07)

A ideia, que já sabemos que não vai dar certo, é seduzir Lorde Dare, partir seu coração e abandoná-lo. Totalmente focada e convicta de que seu plano dará certo, ela não medirá esforços nessa “difícil” jornada de sedução. 

Ao se aproximar de Dare, Georgiana conhecerá um homem totalmente diferente do que se apresenta nos salões de baile. Dare é amoroso e cuidadoso com os irmãos, e muito carinhoso com as tias Milly e Edwina, que aliás, são personagens extraordinárias, que na contramão dos planos de Georgiana, farão de tudo para unir o casal. 

Ao herdar o título, Dare descobre que está totalmente falido, e apesar de tentar de tudo para reverter essa situação, ele sabe que só um casamento poderá salvar a família da ruína. Mas ele não está muito disposto a encarar essa solução. Por outro lado, Georgiana também deixou marcas em seu coração, e quem sabe conquistá-la não seja a saída mais prazerosa para os problemas. 

A propósito, Lady Georgiana é uma personagem tão incrível que entrou pra nossa lista de crush literária.

O casal é perfeito. Há química desde o início, há amor, carinho. A escritora Suzanne Enoch criou uma sagacidade ímpar para os dois personagens, com tiradas divertidas e suaves. E passagens que dialogam com o leitor, quando suprimiu o capítulo 13 por julgar que os personagens já tivessem complicações demais para ter um capítulo com um número que julgar ser de azar. 

“Então, o plano estava começando a dar certo. Georgiana julgou que a pulsação acelerada era por conta da satisfação.” (pág.92)

Como se vingar de um cretino, proporciona uma viagem no tempo, nos bailes, nos costumes e destaca fatos importantes como a Batalha de Waterloo, que deixou marcas em um dos irmãos de Dare, e também sobre como as colônias garantiam a economia e saúde financeira dos lordes e proprietários de terra em Londres. 

A leitura é leve, engraçada, cheia de romance e explora o amor, sobretudo a família. Quem, assim como eu, é apaixonado por romances de época não pode deixar de ler, é quem não é, esta é uma ótima oportunidade de se apaixonar também.

No Resenhando você encontra resenhas de todos os gêneros literários.

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário