Crédito: Diego Martins

BH nos livros: 10 obras que tem BH como cenário de suas histórias

Belo Horizonte completa 122 anos e nada melhor que celebrar a data com uma seleção de livros que tem a cidade como cenário de suas histórias.

Um cidade literária!

A cidade conta atualmente com 22 bibliotecas na rede municipal, espalhadas pelas regionais da capital em seus centros culturais, e em locais pouco conhecidos como o Museu da Moda, Museu Histórico Abílio Barreto e no Mis Cine Santa Teresa.

De acordo com a Fundação Municipal de Cultural, essas bibliotecas oferecem muito mais que empréstimos de livros e gibis, elas promovem o incentivo à leitura por meio de oficinas literárias, debate, rodas e clubes de leitura, narrações de histórias, saraus, encontros com escritores, entre outros. Clique aqui para conhecer a rede de bibliotecas municipais.

BH também é sede da Biblioteca Estadual de Minas Gerais, antiga Luís de Bessa, que conta com um acervo de cerca de 500 mil livros. Veja como fazer sua carteirinha a aproveitar.

BH também é cenário de produções literárias de várias gerações de autores. 

Selecionamos 10 livros que tem a cidade como cenário. Aproveite para incluir essas obras em sua lista de leituras. 

O visitante do tempo | Isabel Cristina Passos

É um livro ilustrado que resgata do passado, o urbanista Aarão Reis, como um visitante ilustre que passeia pelas ruas e pontos turísticos da cidade nos dias de hoje, observando os desdobramentos de seu projeto.

De posse de um guarda-chuva, ele explora o que se tornou a cidade que ele projetou. Será que ele ficou satisfeito? Só lendo, obviamente, para saber. 

Becos da memória | Conceição Evaristo

Becos da Memória é uma coletânea de relatos dos moradores de uma favela de BH, a Pendura Saia, na região centro-sul, às vésperas do desfavelamento.  As pessoas estão sendo retiradas dos seus lares em troca de míseras quantias de dinheiro ou pedaços de paus para construir em outro lugar. Esse lugar é o que conhecemos hoje como alto da Afonso Pena, região do Mercado do Cruzeiro.

Temos em mãos uma obra prima, de leitura necessária e obrigatória. Um exemplar da realidade nua e crua vivida por muitos brasileiros.  É um livro pequeno, mas que apresenta uma carga enorme de ensinamentos. Veja a resenha completa clicando aqui.

Idalina | Miquéias Maia

Idalina é um livro de terror, com uma pegada de aventura, ação, suspense, e uma marca bem interessante que é a mineiridade dos personagens. Eles transitam entre bairros de BH e o Vale do Jequitinhonha, trazendo para a história elementos tipicamente mineiros. Isso é muito bom!

“No caminho decidiu fazer algo diferente naquele dia. Pelo fato de gostar muito de um trecho da Avenida Amintas Jacques de Moraes, no bairro Glória, decidiu fazer um trajeto diferente. Nesta avenida tem uma descida não muito inclinada, no qual as duas margens e o canteiro central são repletos de árvores formando assim um túnel. Neste trecho, o ar é sempre agradável, sempre tem muita gente passando com seus cachorros fazendo caminhada, indo para o trabalho, ou até mesmo a caminho da padaria.”

Vários pontos turísticos da capital são citados na história, como a Praça do Papa, Avenida Afonso Pena e Palácio das Artes.

De olhos fechados | Lavínia Rocha

De olhos fechados é o segundo livro da escritora mineira Lavínia Rocha. Conta a história de Cecília uma adolescente de 15 anos, cega desde o nascimento, que vive na capital mineira com o pai, Renato, e a irmã mais nova, Luna. É uma fantasia intrigante e ao mesmo com uma responsabilidade social absurda.

Lavínia imprime um jeitinho bem mineiro de escrever uma fantasia que envolve vários pontos turísticos da cidade. Agora toda vez que passo pela Praça Sete fico esperando abrir uma passagem secreta embaixo do monumento. Tem resenha completa aqui.

Tomei uns tragos de poesia para amanciar a tristeza| Emanuel Ferreira

Nascido e criado em Belo Horizonte, Mano traz também, além dos versos e histórias presentes no livro, uma familiaridade, em especial para os leitores conterrâneos: os textos, em sua grande maioria, são descritos nos mais diversos cenários da capital mineira, e a identificação é imediata. 

“Desembarquei do metrô na Estação Central, o relógio marcando 07:53. Cortei ventando a Praça da Estação, o relógio tiquetaqueando 07:58. Subi a avenida Amazonas aos tropeços e trombolhões, o relógio indo em 08:03. Cheguei à Praça Sete suado, com um pastor de rua gritando, e uma e duas e três e dez meninas vendendo chip da Tim, foto na hora, bilhetes de loteria, seu amor de volta em três dias; alguns sujeitos comprando créditos do cartão de ônibus, vendendo créditos do cartão de ônibus, vendendo ônibus no cartão de crédito…” (pág. 16). Gosta de poesia? Conheça essa obra clicando aqui

Dinastia dos magos | Virgínia Fróes

Conta a história do Príncipe Eiri, que prestes a assumir o trono, é transformado em gato pelo seu irmão, e exilado na terra, mais precisamente em BH. Aqui, Eiri conhece Sonne, uma menina humilde e voluntariosa que acolhe o bichano sem saber que ele na verdade é um humano, embora ele seja um gato falante, reclamão, literalmente com um rei na barriga. Veja a resenha completa aqui.

Minha vida fora de série | Paula Pimenta

Uma das principais marcas da autora mineira é apresentar obras com um cotidiano bem nosso. A maioria de suas histórias se passa em BH, com referências não apenas de pontos tradicionais da capital, como também carregam a marca da mineiridade, nos trejeitos e costumes.

Minha vida fora de série – 1º temporada foi lançado em 2011 e conta a história de Priscila, 13 anos, que tem seu mundo abalado após a separação dos pais. Ela tem que mudar de estado, conviver com a ausência do pai, irmão e das melhores amigas e ainda conquistar o seu espaço na escola nova e no coração dos novos amigos. Priscila vive a expectativa do primeiro amor e as consequências de suas próprias decisões. A história se passa em Belo Horizonte e por isso já mereceu meu 10. Confira a resenha completa na coluna LiteralizaBH

Azul da cor do mar | Marina Carvalho

Eu vibrei com cada referência de BH nas cenas do livro Azul da Cor do Mar. Marina não apenas menciona os pontos turísticos, como cita ruas, cafés, e o ápice da história ocorre em uma favela da capital. 

É muito bom identificar nas suas histórias os locais que conhecemos, como a Praça da Liberdade, Fórum Lafayette, Kahlúa Café na rua Guajajaras, Avenida do Contorno, Mercado do Cruzeiro. Saber que os nossos personagens torcem para Cruzeiro e Atlético, vão ao Mineirinho ver a seleção brasileira de vôlei, fazem compras no Verde Mar, ouvem Rádio CBN e Jovem Pan. Vão ao Cine Belas Artes e passam por bairros como Sion, Belvedere, Gutierrez e Aglomerado da Serra. 

A história se passa em BH, mas começa há alguns anos, durante as férias em uma praia. A nossa protagonista Rafaela Villas Boas, atualmente estagiária num grande jornal da capital, não consegue esquecer um garoto de olhos azuis e mochila xadrez que viu durante quase todos os seus dias de férias em Iriri. Veja a resenha clicando aqui

Hilda Furacão | Roberto Drummond

O clássico da literatura nacional se passa na BH da década de 1960. A jovem Hilda, brilhantemente marcada pela atriz Ana Paula Arósio, protagonista da adaptação da TV Globo, transita pelas ruas da capital, especialmente a zona boêmia. 

Encontro Marcado | Fernando Sabino

Um clássico da literatura nacional, do mestre Fernando Sabino, assim como vários outros livros do autor, Encontro Marcado tem a presença forte de Minas Gerais, e sobretudo BH.  Entre chegadas e partidas dos personagens a capital mineira, há várias citações a bairros como Santo Antônio e Funcionários, locais como estação de trem da Praça da Estação e Praça e Sete. Conta à história de Eduardo Marciano, um escritor em busca de autoconhecimento.

Apenas 10 exemplos de muitos outros que fizeram muito mais que pegar o cenário emprestado. Assim como conhecemos outros países, e suas culturas lendo a literatura estrangeira, temos a chance de nos conhecer e principalmente apresentar nosso estado e a riqueza da nossa cultura por meio da literatura também. 

Já apresentamos aqui vários projetos literários que valem a pena prestigiar.

Clique e conheça

Casa dos Quadrinhos

Clube de Leitura das Minas

Clube de Leitura do Belas

Projeto Clis – Incentiva a leitura infantil

Clube do Livro BH

Bantu – Uma livraria onde o negro protagonista

Conheça a livraria mais antiga de BH

Leia Mulheres BH

Deixe o seu comentário

comentários

2 Replies to “BH nos livros: 10 obras que tem a cidade como cenário de suas histórias”

Deixe seu comentário