Resolvi fazer uma listinha dos “5 melhores filmes da minha vida”. Costumo falar que um filme é bom, quando ele me atinge em algum sentido ou faz com que eu esqueça da minha realidade. Se estou assistindo um filme e olho para minhas mãos, por exemplo, e encontro elas fechadas e suadas, penso: Esse filme me provocou uma reação sem eu ao menos perceber. Nesse momento, ele entra para a minha listinha de bons filmes, porque ele conseguiu me transportar para o seu universo. Não são todos que fazem isso. Os filmes que citei nessa lista, podem não provocar nada em você, alguns são até mesmo clichês em listas de melhores filmes, mas, fui atingida em cheio por cada um deles.

Bonequinha de luxo – Foto: Paramount Pictures


1) Bonequinha de Luxo: É um filme de 1961, estrelado pela atriz Audrey Hepburn. Audrey interpreta a personagem Holly, uma garota de  programa nova-iorquina. A atriz está no auge do seu talento e beleza. Simplesmente maravilhosa em cada cena. Tenho um amor muito especial por esse filme, não só pelo seu importante papel na mudança da representação da mulher, no cinema (Vai ter um post, sobre esse assunto), mas principalmente, porque esqueço completamente da minha realidade sempre que o assisto. Ele representa pra mim, o que a Tiffany representava para a Holly.

A Malvada – Foto: 20th Century Fox.

2) A Malvada: Amo Bette Davis! O papel de Margo Channing, é um marco na sua carreira de atriz. A personagem é maravilhosa, muito bem construída e muito bem interpretada por Davis. O filme possui um enredo que te prende o tempo todo, sem falar nas frases de efeito, faladas por Bette Davis, no decorrer do filme. Quando assisti pela primeira vez, simplesmente fiquei hipnotizada acompanhando cada cena.

Infâmia – Foto: Metro-Goldwyn-Mayer.

3) Infâmia: Outro filme estrelado pela Audrey Hepburn. Não tem jeito, gente. Sou fã da Audrey, vou falar sempre dela aqui. Esse filme possui a Audrey e a marcante Shirley Maclaine, nos papéis principais. O filme não foi valorizado quando estreou, o tema era muito polêmico para a época. Falar sobre possíveis personagens lésbicas, não era muito bem visto pelos conservadores de Hollywood. Isso rendeu muitas críticas negativas. Inclusive, muitas biografias e artigos encontrados na internet, não citam esse filme na filmografia das atrizes. É uma pena, pois os diálogos são intensos, a interpretação de todos os atores beiram à perfeição, com destaque para a Shirley Maclaine e, para a personagem mirim (Karen Balkin) que me deixou tremendo de raiva durante todo o filme. E o final, bem, se você ainda não assitiu, assista.

O Poderoso Chefão – Foto: Paramount Pictures.

4) O Poderoso Chefão I: Coloquei o primeiro, mas provavelmente você vai querer ver ou rever a trilogia inteira. Vito Corleone e Michael Corleone viraram lendas no cinema, né? Não tem uma página, site ou canal especializado em cinema que não tenham falado sobre eles, em algum momento. O marcante nesse filme são os diálogos. A atuação de Marlon Brando é esplêndida e o Al Pacino, como Michael Corleone, sua frieza e suas estratégias de negócios, me deixaram sem ar.

Casablanca – Warner Bros.

5) Casablanca: Acredito que esse é um dos filmes mais românticos que eu assisti, mesmo não tendo muitas cenas de romance. Isso é possível? Sim. Senti a dor de Rick sentado na mesa do bar e o final é uma das maiores provas de amor que alguém pode dar. Chorei muito assistindo esse filme. Nem preciso citar como Humphrey Bogart e Ingrid Bergman, estão maravilhosos em cena.

Claro que existem mais filmes marcantes na minha vida. Custei pra chegar nessa lista com 5 títulos. Com o tempo, faço justiça e falo dos outros filmes deixados fora da lista, ok? Não fiz uma resenha completa dos filmes, se você ainda não assistiu, recomendo que você assista e volte aqui para conferir se sua reação, foi parecida com a minha.

Você possui algum filme realmente marcante? Conta pra gente!

Se você gosta da atriz Marilyn Monroe, vai se interessar por essa postagem: Marilyn Monroe, Leitora.

Envie seu e-mail para a colunista: afia@literalmenteuai.com.br

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário