O FIM DE UMA FANFIC

E ele só respondeu: “tá bom”. Nem uma palavra a mais e nem uma a menos. 

Foram só essas duas  palavras que juntas não somam nem seis letras. Economizou até na resposta. Aquele textão que eu achei super engraçado e me fez encantar por ele, foi só no início. Só na introdução dessa fanfic que eu criei sozinha! 

E foi assim que acabou toda historinha que criei! 

Foi assim que ele colocou fim no batizado e na preparação para a festa de aniversário das crianças, no gelado na barriga no dia do casamento, nas tardes fazendo vários nadas ou cozinhando e ouvindo música, juntos. 

E foi bem assim que fiquei sem ter com quem brigar por ciúmes e vou ter que assistir ao “Friends: The Reunion” sozinha. Estava esperando ele terminar a série para assistir esse episódio especial com ele. 

Na minha fanfic, tudo isso parecia perfeito! 

Mas infelizmente ou felizmente (nunca vamos saber) uma fanfiqueira de respeito sempre cria suas histórias sozinhas. E na minha história tinha até café da manhã e final de semana na praia, com sexo, óbvio, porque meu lado sexy/vulgar sempre grita e eu não vou fazer a sonsa justo aqui. 

Obviamente o mocinho dessa história tinha todos os pré-requisitos de uma novelinha perfeita dos anos 2000: gato, narigudo, boy de academia, tem sempre uma respostinha debochada, é engraçadinho, jeito e rostinho de cafajeste. Mesmo porque não podemos julgar se a fanfiqueira que vos fala, ou melhor, que vos escreve, é fã da 8.ª temporada de Malhação e de Friends. 

E se você leu essa crônica até aqui, provavelmente as palavras “Múltipla Escolha”, “Gigabyte”, “Pop Rock Brasileiro”, “Cabeção”, “Sofá Laranjado” e  “Central Perk”, te lembram um período maravilhoso da sua vida em que toda semana você tinha uma nova paquerinha. E nem adianta negar, porque eu sei, rs! 

Foi um “tá bom” assim, sem ponto, sem vírgula, sem nada! Não dá nem pra saber se tem alguma coisa depois ou se a pontuação quem coloca é a mocinha. 

Mesmo porque, se for seguir o coração romântico e sonhador da mocinha, depois do “tá bom” ela colocaria uma vírgula, só para a história continuar. Mas se for seguir a cabeça, o lado racional da mocinha coloca um ponto final, mesmo porque não é tão difícil imaginar como essa história termina. 

No dicionário informal, “Fanfiqueira” é aquela que faz “fanfics”, do inglês: “história inventada” e este jargão é utilizado para denominar pessoas que gostam de inventar histórias.

No dicionário desta cronista, “Fanfiqueira” é uma pessoa que adora historinhas clichês, acredita que a maior sorte do mundo é encontrar no meio do caminho alguém que queira caminhar o resto dele ao seu lado e que o amor é uma escolha. 

É você que leu essa crônica até aqui, tem alguma fanfic pra contar? Manda pra gente, eu vou adorar ler! 

Vem ler outras notícias do universo literário, filmes e séries. Clique aqui!

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário