A rotina de uma mãe que trabalha fora

Em meio a tantas dúvidas e questionamentos, me sinto perdida sem saber como ela enxerga essa situação de uma mãe que trabalha fora e não fica em casa o dia todo com ela. 

Todos os dias que saio de casa e deixo minha pequena dormindo, sinto um misto de emoções que ascendem vários questionamentos sobre a rotina de uma mãe que trabalha fora.

Ao mesmo tempo que me sinto bem em ir trabalhar, seguir a carreira que escolhi e ser exemplo para ela,  eu também me sinto angustiada em sair com ela dormindo e só voltar no fim do dia. Em não acompanhar de perto todo o seu desenvolvimento. Em ouvir de muitas pessoas “nem é você quem cuida dela?”.

Tem dias que dá aquela vontade de jogar tudo para o alto e passar o dia brincando com ela, mas tem dias que entendo bem a importância de seguir minha carreira e poder sustentar um “serumaninho” que precisa de mim.

Em meio a tantas dúvidas e questionamentos, me sinto perdida sem saber como ela enxerga essa situação. Mas há uns dias eu recebi uma lição de quem eu menos esperava, minha própria filha, e ela me fez acreditar que estou no caminho certo e que o que importa não é a quantidade de tempo que passamos juntas e sim a qualidade desse tempo.

Eu trabalho em uma startup que oferece a possibilidade do trabalho home office e pelo menos uma vez na semana trabalho de casa. Nesses dias eu posso passar um tempo maior com ela, apesar de não passar o dia, já que preciso me concentrar no trabalho. Eu posso por exemplo tomar café da manhã com ela, dar bom dia ao acordar. Nesses dias ela me vê trabalhando no meu notebook enquanto ainda não foi para a casa da vovó, que é no mesmo terreno.

Foi daí que veio minha lição!

Estávamos brincando no quarto quando ela disse: – Mamãe, vamos brincar de mamãe e filhinha? (Ela adora essa brincadeira) rsrs

Eu disse vamos, e me sentei no chão para começar a brincadeira. Nesse momento ela me disse que seria a mamãe, pegou um fone igual ao que eu trabalho e colocou na cabeça. Em seguida pegou uma tampa colocou no colo e fingiu que era um notebook igual ao meu.

Ela começou a digitar e me dizia: “filha a mamãe tá trabalhando, viu”, “a mamãe tá trabalhando em casa pra ficar pertinho de você”. Depois tirou o fone abriu os braços e disse “pronto amorzinho, a mamãe já acabou de trabalhar e agora vai ficar com você” e veio me dar um abraço.

Eu perguntei porque ela trabalhava, ela me respondeu que era pra cuidar da filha e comprar iogurte, biscoito e brinquedo. Nesse momento eu quase chorei e percebi que mesmo não conseguindo dar toda a atenção que gostaria e ter que trabalhar enquanto a vontade é de estar brincando com ela, ela percebe que trabalho por um objetivo que é pro bem dela e que mesmo assim tento me fazer presente,  estar em casa e dar todo amor que ela merece.

A rotina de uma mãe que trabalha fora não é fácil (nem as das mães que trabalham em casa), mas é maravilhoso ver que eles entendem que a gente divide o nosso tempo com o trabalho, mas não deixamos de estar presente, e isso já é um exemplo para ela seguir na vida e se tornar uma mulher trabalhadora e independente, dona da sua própria vida.

A coluna LiteralMente,mae! é publicada quinzenalmente aos domingos. As opiniões e fatos não refletem necessariamente a opinião de todas as mães, mas sim a vivência da colunista.

Quer trocar experiências comigo? Envie e-mail para gabriela@literalmenteuai.com.br

Veja mais! 

Bagunça de criança: Como lidar com essa fase

Meu filho não come

Colinho de mãe

Anúncios

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário