Esperança Resistente

 

Me dizem louco

Querem me prender

Não querem

Me deixar ser

Sou torturado

Pelo teu mal olhado

Sou violado

Pela violência

 

Querem me tornar

Alguém normal

Mas, ser alguém

Já  não o é?

Me colocar a margem

Me ignorar

Me violentar

Não vai me calar

 

De pés livres

Mãos dadas

Olhos bem abertos

Ando ao lado

Da democracia

 

Através da arte

Busco outrar-me

Tê-lo em mim

Meu lugar social

Ressignificando

Contra a guerra do ódio

 

Protagonista

Da própria história

Com a resistência

Vou provar

A minha existência

 

No dia 18 de maio e em todos os dias do ano as pessoas merecem o respeito e de ter o direito de ser livres!

 

Em Chamas

Desconfigurado

 

*A imagem de destaque foi retirada do banco de imagens do Canva

 

Se você além de gostar de poesia, também escreve, divulgue aqui.

Envie seu texto para contato@literalmenteuai.com.br

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário