Ceifeiro das Sombras
Arte de Nacy Otomo

Ceifeiro das sombras

Mãos cadavéricas

Seguram o instrumento

A foice,

Um balanço

Uma alma se jaz

Aqui não se estás…

Uma figura cadavérica

Do que um dia

Fora um homem

E se tornara a morte

Um indivíduo sem sorte?

O juízo final

O destino inescapável

A morte inevitável

Dela ninguém sabe

Ninguém prevê

Por que

Quando se vê…

Depois dela

O FIM?

Um novo começo?

Retornar ao berço?

Só há um jeito

De descobrir

Mas, espero

Encontrar

Aquilo que eu acreditar!

 

 

 

Leia mais!

 

Homem Macho

Quarta Barreira

 

Se você além de gostar de poesia, também escreve, divulgue aqui.

Envie seu texto para contato@literalmenteuai.com.br

 

 

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário