Lua Oculta

Ah lua minha única Cia
Nessa madrugada, fria, vazia
Ah lua porque quando mais me aproximo você se distancia?
Ah lua se escondes atrás de tanta nuvem
É difícil de te ver, é tudo penumbre
Ah lua quanto mais me encanta com esse seu brilho, mais me sinto perdido
Sem saber o meu destino
Ah! lua que em dia de lua cheia

Parece vazia, fria, não entendo suas fases, lua bandida
Ah lua que é difícil acreditar nesse brilho de iluminar,
Brilho falso, da estrela solar
Ah lua perfeita criatura, figura
Queria só mais uma vez, te sentir
Mostrar minha ternura
Ah lua ao seu lado sou falante, constante

Mas longe de você sou pequeno, uma verdadeira lua minguante
Ah lua obrigado por comigo ser cheia
Mas sua partida, por mais que eu não queira está decretada, será feita
Como o cair dos grãos de areia de uma ampulheta
É isso lua bandida
Seja metade pra sempre!
Já que suas fases não te fazem ser minha por inteira, lua sorrateira.

 

O texto é uma cortesia do poeta Erick Cristian Junio Braga. Agradecemos sua confiança! Se você também tem um texto especial, uma crônica, conto ou poema, envie para nós no e-mail: contato@literalmenteuai.com.br. Esse espaço é dos leitores. 

Veja outras contribuições clicando aqui.

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário