Cena do crime: Mistério e morte no hotel Cecil – as teorias e o desfecho oficial do caso Elisa Lam

Até hoje circula na internet aquele último registro da jovem canadense Elisa Lam desorientada e visivelmente amedrontada, dentro do elevador do hotel em que estava hospedada. O vídeo desperta uma enorme aflição, principalmente por saber que ela seria encontrada morta dias depois na caixa d’água do local.

Sem dúvida, um dos primeiros virais da ascensão da internet e redes sociais. O desaparecimento de Elisa, o misterioso vídeo, e as inúmeras teorias que tomaram conta da internet garantem o interesse no documentário da Netflix: Cena do crime – Mistério e morte no Hotel Cecil.

Veja o trailer: 

O que o telespectador não esperava é que a história do Hotel Cecil é tão ou mais macabra que o sumiço desta jovem. Em retrospecto somos apresentados a um cenário conhecido na cidade como palco de acontecimentos assustadores, que vão desde inúmeros suicídios a estupros, assassinatos, overdose, desaparecimentos e abrigo para famosos serial killers.

“Coisas ruins acontecem lá uma atrás da outra. Todos se perguntam por que?”

O Cecil Hotel fica no centro nada glamoroso de Los Angeles, em torno de uma das regiões mais perigosas do mundo, conhecida por Skid Row, que abriga cerca de 10 mil sem teto. Um dos maiores mercados de droga dos EUA, a região concentra ainda os principais órgãos de auxílio a esta população, formada em sua maioria por dependentes de droga e doentes mentais.

Um cenário propício para o desaparecimento de uma turista. O documentário apresenta depoimentos até então inéditos, como da gerente do hotel na época do caso, e os inúmeros detetives da internet que debruçaram sob o caso, criando várias teorias e apontamentos infundados.

O crime ocorreu num momento de expansão das redes sociais, especialmente o Tumblr, rede em que Elisa era usuária assídua e compartilhava seus anseios com os seguidores. Muitos deles enxergaram em suas postagens eventuais pistas para desvendar o caso. O documentário apresenta um pouco do poder e das consequências dessas conspirações virtuais tanto na investigação do caso, quanto na vida de quem é tido como suspeito.

Porém, muitos desconheciam à época é que Elisa sofria de transtorno bipolar e depressão. Inclusive, apresentava durante sua hospedagem comportamentos tidos como estranhos, que fizeram com que ela fosse trocada de quarto.
Elisa tinha um estado mental debilitado, assim, o desfecho do caso não tem nada de sobrenatural, ela foi vítima de seu próprio sofrimento.

O caso Elisa Lam desperta muitos sentimentos, mas destaco principalmente o de proteção. Uma jovem que teve sua vida ceifada tão precocemente, carecia de ajuda e acolhimento. E mesmo com as boas intenções dos internautas em desvendar o caso, essa boa vontade tem que sair das redes sociais e passar a ser aplicada no dia a dia, no olhar mais cuidadoso com quem está ao nosso lado e na escuta ativa, para evitar que tragédias como essa se repitam.

Sobre o hotel, sua história apesar de macabra, carrega um certo fascínio, principalmente para quem aprecia investigação criminal. Sem dúvida o Cecil é um personagem importante da história norte-americana.

A Netflix acertou ao unir essas duas histórias, conseguindo prender o telespectador com uma narrativa ágil e intrigante.

Vem ler outras notícias do universo literário, filmes e séries. Clique aqui!

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário