Relatos de mães: Um ano com ela!

Essa semana temos mais uma participação especial de uma linda mamãe

É sempre bom ouvir e compartilhar experiências no universo da maternidade, por isso abrimos esse espaço “Relatos de mães” para que outras mamães nos conte um pouco sobre momentos de suas vidas ligados a maternidade.

Há um tempo convidamos uma mamãe para falar sobre a expectativa para o ano novo de quem está grávida. Hoje convidamos a jornalista Dariane Araújo, mãe da Beatriz, que acaba de completar um aninho,  para nos contar um pouco sobre como foi seu primeiro ano como mamãe.

 

Um ano com ela

No dia 21 de fevereiro de 2018 nasceu a minha menina, Beatriz! Seu nome significa ‘aquela que traz felicidade’. E ela nos trouxe a felicidade mais pura e verdadeira. Uma felicidade que não tinha ideia que pudesse existir. Ela também me levou para um encontro com uma nova mulher. Nascemos juntas, na sala de parto, mãe e filha.

Falam que quando nasce uma criança nasce também uma mãe, um pai, uma nova família. Senti isso. Me vi transformada em uma nova pessoa, com os sentidos mais apurados, com ânimo e com coragem para enfrentar o total desconhecido.  

Começando pela viagem do parto de mais de 12 horas, passando pela fase dolorosa e complicada dos quase seis meses de amamentação exclusiva e de livre demanda, pela angústia da primeira febre, pelo desconforto de não ter hora para comer nem mesmo ir ao banheiro, pela falta de sono e do cansaço. Me sinto também forte e frágil, segura e com tantas incertezas, uma dualidade de emoções, mas que acabam por se resolverem dentro de mim. É como se um rio caudaloso e cheio de cachoeiras chegasse manso e tranquilo em um mar de ondas suaves.

Para encontrar esse equilíbrio precisei de colo, de atenção, de aconchego, tal qual a minha menina. Precisei de cuidados e de muito amor que encontrei nos olhares atentos da minha mãe, na segurança do meu marido e no carinho da minha família e amigos.

Nesse meu primeiro ano como mãe posso dizer que vivi momentos tão intensos e marcantes que parecem que existiram comigo a vida inteira. Vivi momentos de plena felicidade ouvindo a sua primeira gargalhada. Momentos de sentir o tempo parar quando ela adormece no meu colo com as mãozinhas agarradas no meu corpo. Momentos de satisfação ao ver ela se deliciando com uma pera amassadinha. São gestos tão simples e tão fortes. E acredito que esse seja o significado de ter um filho. É algo simples e extremamente profundo e transformador. Um amor que não se explica, mas que dói só de pensar.

O tempo todo é como se ela estivesse me ensinando a ter paciência, dar tempo ao tempo, não apressar nada, ao mesmo que expressa sua urgência a todo momento. Cada dia uma nova garotinha se apresenta diante de mim, sempre com um olhar curioso, profundo e reluzente. Sempre muito feliz! Quase sempre me pego olhando para ela brincando, interagindo. Eu poderia passar horas só vendo ela se movimentar. Um amor tão forte assim não é possível explicar. E que venham muitos momentos mais, te amo minha Bibia!

 

Se você também deseja compartilhar momentos de amor e transformação na sua vida relacionadas a maternidade, entre em contato com pelo email abaixo.

 

A coluna LiteralMente,mae! é publicada quinzenalmente aos domingos. As opiniões e fatos não refletem necessariamente a opinião de todas as mães, mas sim a vivência da colunista.

Quer trocar experiências comigo? Envie e-mail para gabriela@literalmenteuai.com.br

 

Anúncios

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário