O Escândalo : Foto Charlize Theron, Margot Robbie, Nicole Kidman

Intenso, revelador e escandalosamente perverso.  Essas palavras definem perfeitamente o filme O Escândalo.  O longa narra a história real que abalou todo um conglomerado de mídia americana.

Quem se lembra do #Metoo, movimento cujo objetivo era denunciar abusos sofridos por homens poderosos? No ano anterior a esse movimento, estourou nos Estados Unidos um grande escândalo envolvendo o diretor da FOX News, Roger Ailes, denunciado por diversas funcionárias por assédio e abuso sexual.

Logo nos primeiros minutos de filme, é apresentado ao telespectador a estrutura física do prédio da FOX News. Conhecemos os personagens e o sistema que os envolve, e essa apresentação é feita por Megyn Kelly (Charlize Theron), âncora do jornal da emissora. Além disso, Megyn fala diretamente ao público ao quebrar a quarta parede, revelando o que deveria ser uma obra mais descolada.

Veja o trailer:

O longa é estrelado por grandes nomes de Hollywood, como Nicole Kidman e Charlize Theron, juntamente com Margot Robbie. Charlize vive a ex-âncora do canal Fox News, Megyn Kelly e Nicole, a jornalista e comentarista Gretchen Carlson. Todavia,  Margot interpreta uma personagem fictícia que amarra a trama. Ailes é vivido por John Lithgow.

Jornalismo como produto

Para além de toda misoginia e machismo da FOX, a trama exibe o jornalismo como grande produto mercadológico e moeda de troca. Vale destacar que a narrativa acompanha toda a campanha presidencial de Donald Trump e suas declarações preconceituosas.

Esse jornalismo nada imparcial, obriga as mulheres a serem condescendentes com inúmeras situações de abuso, como, por exemplo, exigir um dress code sexy e atrativo. Quando Gretchen Carlson decide tomar uma atitude e mudar o roteiro em seu programa, sofre grandes retaliações, que resulta em sua demissão.

O Escândalo 

Ao ver sua carreira ameaçada, a personagem de Nicole Kidman, entra com um processo judicial contra Roger Ailes. Enquanto isso, Ailes recebe novas mulheres para “entrevistas” em seu escritório particular. Dessa vez, tendo Kayla Pospisil (Margot Robbie) como a próxima vítima.

Kayla é uma jornalista que tem a FOX como sua religião e sonha em crescer no canal. Logo, vê esse sonho se transformar em pesadelo ao conhecer pessoalmente o grande magnata da emissora.

Em um momento que deveria ser questionado suas competências e habilidades, Roger, literalmente, analisa a beleza física de Kayla. E como justificativa usa a máxima: “é uma mídia visual”. Visivelmente acuada e desconfortável, a personagem se vê obrigada a realizar tais ações. Na cena, Ailes pede que ela levante o vestido para ver suas pernas, mas nunca é suficiente.

Então, nos deparamos com um close em sua roupa íntima, algo completamente exibicionista e desnecessário. É uma cena constrangedora e que mexe demais com a gente. Eu  me senti desconfortável em assistir esse episódio. Fiquei tentada a me levantar e sair do cinema nesse instante, no entanto, me contive. Logo, pensei nas milhares de vítimas de abuso que já passaram por uma situação dessa sem ter o poder de se defender.

Era isso que acontecia. As mulheres não tinham poder nessa empresa. A única que tentou ter voz própria, foi demitida, entretanto, não se calou.

Elas decidem falar

Uma guerra é feita de batalhas. E quando Gretchen tentou mudar a cultura do estrupo do lugar onde trabalhou, se viu obrigada a convencer outras mulheres a ficarem do seu lado. Esse feito não foi fácil, uma vez que Roger criou um grande clima de terror e pânico para que seus funcionários o apoiassem.

O Escândalo narra com riqueza de detalhes como é árduo e difícil para uma mulher denunciar um abuso sexual em um sistema que foi criado para oprimi-las. Salvo algumas cenas desnecessárias, o filme é uma grande aposta se tratando de produções Hollywoodianas.

Com uma edição extremamente inteligente, o filme liga os personagens fictícios com pessoas reais, por meio de imagens de arquivo da época, além de fugir dos usuais planos cinematográficos.  O longa aposta em movimentos de câmera comuns dos anos 80, como o zoom.

Em linhas gerais, é um filme que recomendo e é extremamente necessário para expor e denunciar o machismo e a cultura do silêncio que ronda os casos de abuso sexual, em qualquer classe social ou parte do mundo. A culpa é sempre da vítima. 

ALERTA: Reviver um caso de abuso sexual e sobretudo lutar por justiça não é algo fácil de se ver. Por isso, ao assistir O Escândalo atente-se para a possibilidade de gatilhos.

Se você já viveu (ou vive) alguma situação de assédio ou abuso sexual, não assista sozinha (o). E lembre-se: você é capaz, você pode e deve denunciar! Faça um escândalo!!

Com mensagens de empoderamento e repressão ao assédio, que é o tema central do filme, a Paris Filmes e TSF® lançaram linha de camisetas inspirada na narrativa no filme. As camisetas custam R$ 74,90 e estão disponíveis no site: www.querotsf.com.br

Ao comprar a camiseta, os clientes receberão um par de ingressos para assistir ao filme nos cinemas.

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário