A Editora Melhoramentos está relançando quatro títulos da obra do autor José Mauro de Vasconcelos dirigidos para o público leitor adulto, nos quais ele mostra sintonia com boa parte da literatura produzida por outros escritores brasileiros de sua época

Mais conhecido por sua principal obra destinada ao público infantojuvenil – O Meu Pé de Laranja Lima, que vendeu mais de 2 milhões de exemplares no Brasil e foi publicado em 23 países -, José Mauro de Vasconcelos (1920-1984) escreveu diversos livros dirigidos ao leitor adulto. Dessa safra, no ano do centenário do autor, a Melhoramentos está relançando quatro títulos: Banana Brava, Barro Blanco, Longe da Terra e Vazante.

Sobre as obras

No texto de apresentação dessas obras, João Luís Ceccantini, professor de Literatura Brasileira da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), enfatiza o valor e a atualidade da obra de José Mauro de Vasconcelos. “Ele foi injustiçado pela crítica especializada, não recebendo até hoje o reconhecimento que merece”, observa Ceccantini. Para o professor, a produção literária de José Mauro foi bastante desconsiderada por vender muito, ser muito popular e por não “realizar rupturas” significativas no campo estético. “Essa avaliação ignorou o importante papel desempenhado pela literatura do escritor na formação do público leitor brasileiro, assim como a sintonia que essa produção manteve com boa parte da literatura produzida por outros escritores brasileiros do período geralmente celebrado pela crítica”, explica ele.

Para o especialista, um dos grandes méritos dos livros de José Mauro é o fato de alcançarem “um alto grau de comunicação com um público leitor adulto bastante amplo, o que não é tão simples quanto possa parecer. Basta observar na história da literatura brasileira do século 20 como há poucos escritores que tenham conseguido o alcance de vendas, tiragens, edições como o obtido por suas obras”.

Romance como crítica social

Claro que a importância de uma produção literária não se restringe a isso. “Seria pouco para valorizar uma obra que tem muitas outras qualidades”, observa Ceccantini. A pluralidade de temas abordados por José Mauro ao longo de suas obras é um de seus trunfos – o que pode ser comprovado com os relançamentos da Melhoramentos. “O escritor também consegue um equilíbrio interessante entre a dimensão de crítica social de seus romances e a visão mais intimista, própria de ‘romances psicológicos’, intimistas”, destaca o professor. Para Ceccantini, chama a atenção o modo como José Mauro compôs personagens e abordou problemas. “Ele demonstra um senso aguçado de dialética, em que personagens e questões não se apresentam de maneira fechada, mas no calor de suas contradições. Boa parte dessas antinomias cito na parte comum e geral dos prefácios que escrevi”, observa.

Outro fator comum nas obras de José Mauro de Vasconcelos está presente nos títulos relançados agora: seus livros, em maior ou menor grau, estão impregnados de elementos autobiográficos. Esse aspecto compõe, na opinião de Ceccantini, um jogo provocador para o leitor, “que é levado a estabelecer continuamente conjeturas sobre o quanto há de biográfico ou não em certos trechos das obras, ou, mais importante do que isso, a especular sobre como e por que se dá essa transfiguração ficcional de aspectos da vida do escritor em sua obra”.

Por tudo isso, mergulhar na obra adulta de José Mauro de Vasconcelos é uma experiência que promete ser instigante, a começar pelo desvendamento dos meandros dos temas marcantes abordados nos relançamentos, como segue:
JOSÉ MAURO DE VASCONCELOS
De 1942, esse foi o livro de estreia de José Mauro de Vasconcelos, quando tinha ainda 23 anos de idade. Garimpos de diamante e cristal, no estado de Goiás, são o cenário da história. A busca por riqueza leva para a região uma legião de garimpeiros vindos de toda parte do Brasil. É o caso do protagonista, o jovem Joel, que nasceu em uma família de classe média alta e resolveu encarar a aventura em um desses garimpos, denominado Banana Brava. É onde ele faz um amigo, o velho Gregorão, com quem enfrenta toda a rotina violenta que ameaça a sobrevivência em atividade tão bruta.
Ficha técnica:

Formato: 13,5 x 21 cm

Número de páginas: 184

ISBN: 978-85-06-08421-2
JOSÉ MAURO DE VASCONCELOS Ecologia e causas indígenas são o tema de fundo desta obra, lançada em 1949. A ação transcorre no vilarejo de Leopoldiana, às margens do rio Araguaia. Na primeira parte dela, o autor aborda o cotidiano de uma aldeia, marcado pelas duas estações climáticas que imperam na região: o tempo das chuvas e o tempo da seca. Também analisa as trocas de influências – nem sempre positivas – no encontro do homem branco com o índio. A segunda parte é repleta de contos, narrados em torno de uma fogueira, que expõem crendices regionais e lendas indígenas. Na terceira e última parte, o narrador revela os motivos que o levaram a abandonar a civilização e a embrenhar-se na vida na selva.
Ficha técnica:

Número de páginas: 232

JOSÉ MAURO DE VASCONCELOSUm clima de mistério prende a atenção do leitor do começo ao fim deste romance, um lançamento de 1951. A trama, que em muito lembra a tradição do romance noir, começa com a chegada de Diogo Moss à ilha que abriga um presídio, onde ele irá substituir o delegado que morreu. Ali convive com personagens e seus dramas pessoais. É o caso do médico Saturnino e sua relação conflituosa com o filho, o falecido delegado; de Dauro, o rastreador de presos fugitivos; e de Nina, uma alcoólatra com quem Diogo se envolve emocionalmente.

Ficha técnica:

Número de páginas: 168

 

Ecologia e causas indígenas são o tema de fundo desta obra, lançada em 1949. A ação transcorre no vilarejo de Leopoldiana, às margens do rio Araguaia. Na primeira parte dela, o autor aborda o cotidiano de uma aldeia, marcado pelas duas estações climáticas que imperam na região: o tempo das chuvas e o tempo da seca. Também analisa as trocas de influências – nem sempre positivas – no encontro do homem branco com o índio. A segunda parte é repleta de contos, narrados em torno de uma fogueira, que expõem crendices regionais e lendas indígenas. Na terceira e última parte, o narrador revela os motivos que o levaram a abandonar a civilização e a embrenhar-se na vida na selva.
Ficha técnica:

Número de páginas: 232

Sobre o José Mauro de Vasconcelos

José Mauro de Vasconcelos (1920-1984) tem uma história fascinante. Ainda menino, trocou Bangu, no Rio de Janeiro, pela cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, onde foi morar com os tios. Na juventude, treinava natação no Rio Potengi e sonhava ser campeão nesse esporte. Mas a vida o levou por muitos outros caminhos. Estudou Medicina, foi jornalista, radialista, pintor, treinador de boxe, pescador, garçom e até estivador. Jovem ainda, viajou com os irmãos Villas-Boas, sertanistas e indigenistas brasileiros, em expedição no sertão do Araguaia, no Centro-Oeste do país. Com seu porte de galã, teve ainda uma atuação destacada como ator em diversos filmes e novelas.

Sobre a Editora Melhoramentos

Há mais de 128 anos, a Editora Melhoramentos ocupa posição de destaque nas diversas áreas em que atua, sendo referência no mercado editorial por seus milhares de títulos publicados. À frente do tempo desde sua fundação, ela se distingue pelo pioneirismo de suas obras, por seus autores e pelos avanços editoriais aos quais se dedica. http://www.editoramelhoramentos.com.br
Quer mais novidades do mundo literário, clique aqui

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário