A Maldição da Chorona: Apesar dos clichês, consegue assustar e divertir

A Maldição da Chorona (The Curse of La Llorona) é a mais nova história do universo Invocação do Mal. Dirigida por James Wan, um dos principais mestres do terror da atualidade (que dirigiu nada a menos que Jogos Mortais, Sobrenatural, Invocação do Mal 1 e 2), a produção agrada ao fãs do gênero e se torna uma boa pedida para quem quer aproveitar a ida ao cinema.

 A trama traz uma lenda mexicana de 1673: “La Llorona”. Segundo as crenças, um mãe desiludida com o pai dos seus filhos, decidiu afogá-los na beira de um rio e se arrependeu logo em seguida. Então ela vaga por aí chorando sem parar tentando encontrar seus filhos novamente, e, como consequência, leva os filhos de outras famílias.

Warner Bros/Divulgação

 Ao longo dos anos, a história foi repassada pelas famílias como forma de controlar os pequenos por medo. É como se fosse uma espécie de bicho-papão no Brasil.

O filme

 O longa se passa em Los Angeles, na década de 1970, e traz a assistente social Anna Tate-Garcia (Linda Cardellini) que, depois de ficar viúva, cria seus dois filhos sozinha, ao mesmo tempo em que tem que lidar com a perda de seu marido.

Veja o trailer: 

Com esse trabalho, ela atende algumas famílias em situações vulneráveis. Quando é chamada à casa de Patricia Alvarez (Patricia Velasquez), encontra seus dois filhos pequenos trancados no armário e interpreta aquela situação como um sinal de maus-tratos. Sem saber o que está enfrentando, Anna resolve internar a mãe das crianças e tirá-las de sua guarda para protegê-los.

E é aí que o suspense todo se volta para sua família. Ela começa a ver semelhanças entre o caso que está investigando e a entidade sobrenatural chamada de Chorona.

O filme gira muito em torno dos filhos de Anna, Sam (Sierra Heuermann) e Chris (Roman Christou), o que dá ênfase à história para amedrontar crianças.

Sem ter mais a quem recorrer, Anna coloca sua fé em Rafael Olvera, interpretado por Raymond Cruz (Breaking Bad), um ex-padre que se tornou curandeiro e tem se preparado para essa batalha sua vida inteira. Trazendo sua fé poderosa e arsenal de itens espirituais, Rafael se une a Anna e seus filhos à medida que se prepararam para enfrentar o pior e se armam para o ataque quando a noite cair e a Chorona libertar toda a força de sua ira sobrenatural.

Warner Bros/Divulgação

Mesmo com cenas previsíveis, a maldição da chorona consegue criar um clima de suspense: aparições inesperada, falta de luz nos ambientes, algum personagem saindo de casa quando deveria estar em um local seguro. Inclusive, a produção acerta mais na dose de sustos e suspenses que o último filme de terror do universo Invocação do Mal, A Freira. Leia a crítica aqui.

Outro acerto do filme foi o elenco escolhido. Linda Cardelini, que interpretou a Velma em “Scooby-Doo”, entrega uma atuação séria, que contrasta com o humor de Reymond Cruz. Porém, o grande destaque vai para os filhos da protagonista, que demonstram um grande talento para filmes de terror e são responsáveis pelas melhores cenas do filme.

Warner Bros/Divulgação

Por fim, se você, assim como eu, se diverte com cenas de filme de terror, pode se arrisca sem medo, ou come medo, de ir ao cinema assistir A Maldição da Chorona. Se não levar alguns bons sustos, ao menos terá diversão, se conseguir achar humor em algumas situações nesse gênero do cinema.

Se você gosta do universo do terror, confira outros posts do TerrivelMente

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário