Provavelmente você já conhece a obra, seja pelo livro, de Ben Sherwood 2004, ou o filme, de 2011, dirigido por Burr Steers. Escolhi como título desta nossa conversa, ‘O Livro que deu origem ao filme’ principalmente porque esta frase está na capa do livro. Algo natural, uma vez que o apelo do cinema é muito grande. Porém, pra ser bem sincero, se você não conhece a obra, esqueça o filme. Não que ele não seja um bom filme. Ele é! Estrelado por Zac Efron, que parece ter sido escolhido a dedo para o papel, o longa narra a história da forte ligação de dois irmãos após um acidente que vitimou o pequeno Sam (Charlie Tahan). Se Sam não resistiu ao acidente, Charlie (Zac Efron) vivenciou a vida após a morte, adquirindo a capacidade de ver espíritos. Vale lembrar que se você não conhece a obra, não precisa ter medo, o filme é um romance.

 

Na época de lançamento do filme, a temática espírita era bem utilizada no Brasil, seja com filmes ou novelas retratando o tema. Mas o longa, apesar de ser bom, perde em detalhes. Lógico que a gente sabe que é impossível um filme ter tudo o que tem no livro, mas a maior falha é a mudança na história. E não são poucas! As diferenças mais difíceis de engolir são: a forma como o acidente aconteceu, a cena de despedida dos irmãos (essa nós vamos discutir abaixo) e o final dos personagens. Dá pra dizer que o filme se baseou no livro, mas tem uma história bem diferente. Uma pena!

Como exemplo, a cena de despedida dos irmãos, no livro acontece no cemitério. Se você é emotivo, é impossível não chorar. O diálogo é muito bem escrito. É possível visualizar a cena enquanto os personagens conversam tamanha a profundidade do texto. No filme, ela é bem mais sutil. A despedida acontece em um barco, e não tem o diálogo. Uma decepção!

Isso quer dizer que você não deve assistir ao filme? Claro que não! Ele vale a pena, mas se você leu o livro, acredito que ficará decepcionado. Se o seu caso for o contrário, conhece o filme, mas não leu o livro, meu amigo… Não espere mais! Baixe um e-book, compre o livro ou peça emprestado. Você vai se surpreender com essa bela história.  E pode ter certeza! Essa será uma das mais belas histórias de amor que você lerá. Ela é inacreditável, mas o autor foi tão feliz em sua obra, que fará o milagre de lhe fazer acreditar.

Anúncios

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário