Safe: Michael C. Hall volta como protagonista após cinco anos do fim de Dexter

Por: Isabel Félix

Depois da morte de sua esposa, o cirurgião Tom Delaney , interpretado por Michael C. Hall, precisa tomar as rédeas de sua família e se aproximar de suas  filhas. Mas tudo muda quando Jenny, sua filha mais velha, desaparece de dentro do pacato condomínio fechado em que moram.

A série de 8 capítulos está disponível desde 2018 na plataforma da Netflix. Apesar de não ter sido muito comentada, Safe é uma boa opção para os fãs de investigação.

Confira o trailer: 

Safe possui uma grande quantidade de “plot twists”, alguns necessários, outros nem tanto. A cada episódio a história principal é contada do ponto de vista de diversos personagens, dando espaço para qualquer um ser suspeito pelo desaparecimento de Jenny. Além do desaparecimento da jovem, outras investigações seguem em paralelo e uma delas tem ligação direta com a investigação principal.

É exatamente essa diversidade de histórias e mudanças de curso que tornam a série interessante. O espectador se envolve no enredo e começa a criar teorias para desvendar o desaparecimento, mas cada vez que ele acha que descobriu a verdade, a série descarta o suspeito previamente apontado e nos oferece outro ainda mais provável.

Foto: Michael C. Hall | Divulgação

Michael C. Hall parece à vontade no papel de Tom Delaney e quase faz o público esquecer que um dia o ator interpretou o serial killer Dexter por oito anos consecutivos. Digo quase, pois quem assistiu Dexter vê muita semelhança nos olhares e trejeitos dos dois personagens.

Outra personagem que merece destaque é Sophie Mason, interpretada por Amanda Abbington. Sophie é a detetive responsável por todos os casos e se envolve emocionalmente com Tom. Logo nos primeiros episódios a personagem se mostra desconfiada de todos os amigos e familiares quando diz a Tom que “ninguém conhece ninguém de verdade”, uma frase importante que deve ser levada em consideração durante todo o desenvolvimento da série.

Foto: Amanda Abbington | Divulgação

Safe é uma série tensa e por isso eles tentam, sem nenhum sucesso, acrescentar um alivio cômico com a família Marshall. Sia, Lauren e Jojo Marshall são extremamente desnecessários e apresentam um humor tão forçado que beira o ridículo, pelo menos os diretores da série conseguiram perceber o erro desses personagens e cortaram pela metade suas aparições até mesmo antes da série chegar a sua metade.

A produção muitas vezes se arrasta e apresenta histórias paralelas que nada acrescentam à história principal. Alguns personagens também parecem não fazer muito sentido quando analisamos a série como um todo. Apesar disso, Safe é interessante e chama atenção de quem gosta de investigações e drama, porém uma temporada está de bom tamanho.

A série tem direção de ninguém que o escritor Harlan Coben o queridinho dos fãs do literatura policial. 

O texto é uma gentil colaboração da jornalista Isabel Félix. Agradecemos imensamente a sua confiança. Siga a Isabel na página @oficinageekreal

A essência e aparência da vida: Rúbia Costa

Meu mundo invertido: Felipe Andrade

Dependência amorosa: Samuel Reis

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário