Se houver amanhã – Sidney Sheldon

O que você faria se não houvesse um amanhã?

Somos frutos do meio em que vivemos? Essa é a pergunta que me fiz após ler o livro Se Houver Amanhã de Sidney Sheldon. Isso porque, Tracy Whitney é uma jovem bonita, trabalha em um banco e está prestes a se casar. Nas reviravoltas que o mundo dá, Tracy acabou indo parar na cadeia após uma grande armação.

Naquele ambiente hostil e bem fora de sua realidade, Tracy acaba se transformando em uma mulher mais forte, porém, com grande necessidade de vingança. E é isso que ela coloca em prática logo que sai da cadeia.

Se na vida existe a lei do destino, Tracy acaba conhecendo pessoas que a levam para um mundo de trapaças. Ela se torna uma espécie de Robin Hood, mas sem dividir as riquezas com os mais pobres. Essa questão não está e nunca esteve em cogitação.

No caminho, Tracy conhece Jeff Stevens. Como gato e rato, eles vivem um romance na base da competição.

Os dois são grandes golpistas. Ele já é macaco velho no ramo e ela, uma novata. A regra é não perder para o outro. Nesse jogo, os dois se entregam ao sentimento que sentem, deixando de lado as diferenças e desconfianças. É o tipo de casal que se juntos já causam, imagina juntos!

Publicado pela primeira vez em 1985, Se Houver Amanhã é um livro ágil, com uma história que surpreende porque você espera apenas, não que isso já não fosse o suficiente, a vingança de Tracy contra àqueles que foram responsáveis por sua prisão. Mas o livro entrega mais. E é esse mais que faz valer a pena.

No Resenhando você encontra resenhas de todos os gêneros literários.

Anúncios

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário