Quem mexeu no meu queijo? | Spencer Johnson

O livro Quem mexeu no meu queijo? do americano Spencer Johnson, chega a maioridade ostentando sucesso e recordes.

Um dos livros de autoajuda mais aclamados e de maior sucesso no Brasil, Quem mexeu no meu queijo? Completa 21 anos de publicação, com ensinamentos ainda pertinentes e adequados para além do mundo dos negócios.

O auge do sucesso da ficção de autoajuda foi em meados de 2000, se tornando leitura obrigatória para gestores e administradores. Aclamado pela crítica e imprensa, a história transcendeu os escritórios e caiu no gosto popular, alcançando a marca de 1,5 milhões de livros vendidos no Brasil.

Quem mexeu no meu queijo? é uma fábula que traz a jornada de 4 personagens em busca do queijo. O queijo aqui é a representação do alimento, mas implicitamente pode ser entendido como um objetivo, uma meta, sempre relacionado a mudança, e acaba que, ao longo da leitura, acabamos apropriando de alguma atitude dos personagens e relacionando ou identificando com algo que ocorreu em nossas vidas.


Os ratinhos Scurry e Sniff estão no mesmo labirinto que os humanos Hem e Haw. Não há rivalidade entre eles. Os personagens estão no labirinto em busca do alimento queijo. O que vai diferenciá-los é a jornada que irão traçar para alcançar esse alimento e a postura que cada um irá assumir, quando esse alimento simplesmente desaparecer.

“Haw ficou pensando no que poderia ganhar, em vez do que estava perdendo.” (pág.62)
“Talvez nós devêssemos apenas no sentar e ver o que acontece _ dizia Hem, _Cedo ou tarde, vão colocar o Queijo aqui de volta.” (pág 43)
“Os ratos não analisavam demais as coisas. Para eles, o problema e a solução eram simples. A situação no Posto C havia mudado. Por isso. Sniff e Scurry decidiram mudar.” (pág.33)

Os quatro personagens fictícios foram brilhantemente usados para trazer reflexões acerca de atitudes da vida real. Há uma identificação com as situações que enfrentam, pois trata-se de mudanças, desestabilização, comodismo, é sobre assumir o controle seja da vida, do negócio, ou de qualquer situação que exija atitude e mudança.

Quem mexeu no meu queijo? é uma metáfora motivacional, completamente de autoajuda, com aquelas paradas estratégicas para as lições e frases de impacto. É um livro fininho, fácil de ler e absorver os seus propósitos.

Apesar da pegada de fábula, e da agilidade com que a história é contada, pode não agradar quem já não curte literatura de autoajuda. Principalmente a parte final “Um debate” onde um grupo de amigos discute os impactos da história em suas vidas, ficou forçado uma vez que induz o leitor a se identificar com algo. Cada leitura é única e as pessoas podem sair desta, sem se interessar por absolutamente nada.

Mesmo assim, vale a pena dar uma chance para o best-seller, seja para aplicar os ensinamentos em sua vida ou indicar para alguém que precise de motivação.

“… o maior obstáculo à mudança está dentro de você mesmo, e que nada melhora até você mudar.” (pág.76)

No Resenhando você encontra resenhas de todos os gêneros literários.

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário