Qual a hora certa para o filho dormir sozinho

Quando chega a hora de deixar o filho dormir sozinho bate aquela duvida, se de fato é o momento. Fique tranquila! O tempo certo é quando você quiser e se sentir segura dessa decisão.

Esse é um questionamento que aflige as mães desde quando o bebê ainda está na barriga. Tem sempre alguém perguntando “você vai ter coragem de colocar o bebê sozinho no quarto dele?”, ou “você vai deixar o neném dormir no seu quarto? Nunca mais vai conseguir tirar!”.

As opiniões de especialistas também se dividem sobre o assunto. Por isso, acredito que essa é uma decisão que deve ser tomada pelos pais, claro que respeitando os limites e necessidades de desenvolvimento da criança. Afinal, cada um tem uma forma de criar seus filhos e definir qual é o momento certo.

Quando a Maria começou dormir sozinha?

Desde que eu estava grávida sabia que não ia colocar a Maria pra dormir sozinha no quartinho dela ainda bebê. Por isso, comprei um bercinho portátil que ficava ao lado da minha cama e lá ela dormiu até a última semana durante três anos.

Sempre achei mais seguro e mais cômodo ela estar ao meu lado. Durante os três primeiros dias dela em casa eu olhava se ela estava bem a cada cinco minutos, e ter ela ali pertinho facilitava esse processo.

Confesso que sempre fui medrosa e detestava dormir sozinha quando era pequena, e assim, equivocadamente, pensava que ela também não iria gostar.

Mas decidi, junto com o papai dela, que era o momento de tentar fazê-la dormir sozinha, e assim fizemos na última semana.

Na primeira noite, ela me perguntou se eu tinha medo de dormir sozinha, e eu tive que ser forte e dizer que não. Afinal, tenho que ser o exemplo.

Eu disse que o papai do céu e o anjinho da guarda estavam ali do lado dela e que podia dormir tranquila. E ela realmente fez assim.

Eu fui pro meu quarto e rolei na cama por um bom tempo até conseguir dormir. Fiquei me sentindo aquela mãe que acabou de sair da maternidade sem saber o que fazer. Querendo olhar ela a cada cinco minutos de novo pra saber se estava bem.

Mas logo pensei, vou dormir porque daqui a pouco ela vai acordar me chamando, mas ela só acordou no dia seguinte, às 5h30 da manhã.

Na primeira noite ela passou mal (com virose), vomitou muito e, quando me chamou, disse que estava vomitada. Meu coração disparou e quando a vi naquela situação, pensei que ela poderia ter engasgado e eu nem estava lá para ajudar. O desespero e a vontade de não ficar nem a uma parede de distância dela aumentaram. Mas ela está crescendo e eu preciso aprender isso.

Quando o momento chega, não tem como voltar atrás. A Maria havia decidido que a partir daquele dia iria dormir no seu quarto, e assim fez.

Só tem uma semana e não sei como serão as próximas noites. Mas todas que passamos até o momento foram muito tranquilas. Eu sigo acordando umas duas vezes na noite para conferir se ela está dormindo bem, mas fico feliz em saber que ela foi para seu novo quartinho sem traumas ou culpas.

Deixo aqui minha admiração pelas mães que conseguem colocar seu filho para dormir sozinho logo bebê. E admiro também as que, mesmo contra muitas opiniões contrárias, dormem juntinhos por mais tempo. 

Conta pra gente como foi com seus filhos?

Veja mais historietas de mães!

A coluna LiteralMente,mae! é publicada quinzenalmente aos domingos. As opiniões e fatos não refletem necessariamente a opinião de todas as mães, mas sim a vivência da colunista.

Quer trocar experiências comigo? Envie e-mail para gabriela@literalmenteuai.com.br

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário