O projeto Rosie | Graeme Simsion

Um dos livros mais sensíveis e bem escritos que li recentemente, O projeto Rosie, apresenta os desafios de uma pessoa com dificuldades de relacionamento pessoal social, emocional e de comunicação, para a simples convivência no dia a dia e, principalmente encontrar uma companhia.

A história é uma imersão no mundo solitário e metódico do personagem Don Tillman. Essa leitura é reveladora e surpreendente, ao mesmo tempo, agradável e divertida. Apesar de não haver nenhuma informação se o personagem é real, a história é tão bem construída, que dá aquele tom de realidade e identificação que conquista o leitor de imediato. 

O geneticista Don Tillman tem sérios (eu diria que até bem resolvidos, já que ele convive bem com isso), problemas de interação social, que ao longo da leitura vão descortinando algumas hipóteses que levaram a esse isolamento. Mesmo assim, apesar de apresentar vários sintomas de problemas emocionais e síndrome de Aspenger, ele afirma que ainda não houve um diagnóstico definitivo de sua condição.

“…acredito que praticamente todos os meus problemas vêm do fato de meu cérebro ter uma configuração diferente daquela da maioria dos seres humanos. Todos os sintomas psiquiátricos resultam daí, não de alguma doença. É claro que eu estava deprimido: não tinha amigos, vida social ou sexo por causa da minha incompatibilidade com as outras pessoas.” (pág.202)

Don é extremamente organizado, vive sua rotina cronometrada e nada, absoluta nada é capaz de mudar essa tradição de longa data. Não se relaciona muito bem com a família, se recente pela perda da irmã, mas se julga incapaz de sentir qualquer sentimento de afeto e empatia. Para cada situação em que demande mais do seu tempo, ele denomina “projeto”, e traça estratégias definindo cada passo com controle e muita objetividade. 

“…estou programado para reagir aos fatos e não aos sentimentos dos outros.” (pág.194)

Essa objetividade faz com que a leitura seja rápida e também super objetiva. Apesar da secura nas ações de Dom, damos muitas risadas e entendemos seu jeito de ser logo de cara. Os poucos amigos que tem, são o casal de psicólogos Gene e Claudia, que tentam ajudá-lo a superar alguns obstáculos, o principal deles é arrumar uma esposa.

Só que Don, não quer perder tempo com conquistas e muito menor se socializar para conhecer pessoas. Seu objetivo é arrumar a mulher perfeita à sua maneira, e, para isso cria um questionário, no qual submete várias mulheres a esse crivo. Inclusive, os tópicos desse questionário renderão muitas risadas.

Porém, o destino e alguns mal-entendidos, lhe reservará a mulher mais inadequada de todas, Rosie Jarman, que certo dia cai de paraquedas na vida de Don e literalmente bagunça toda a organização de sua vida.

“_Gene me mandou a mulher mais incompatível do mundo. Uma garçonete. Atrasada, vegetariana, desorganizada, irracional, nada saudável, fumante – fumante! – ,com problemas psicológicos, que não sabe cozinhar, é matematicamente incompetente, com uma cor de cabelo artificial…” (pág.76)

A convivência com Rosie, e a busca pela paternidade dela, vai revirar o mundo de Don de cabeça pro alto. Ele gosta de estar com ela e de poder ajuda-la, e acaba entrando em conflito com suas próprias crenças. Rosie é divertida, bonita e literalmente o oposto de Don.  

São personagens com personalidades bem delineadas em uma história consistente. A narrativa de Don é inteligente, tal qual o personagem exige. 

As particularidades de Don e a excentricidade de Rosie, tornam a leitura única, pois saímos com vários ensinamentos que, possivelmente levaríamos anos para adquirir. Eu gostei muito! 

O projeto Rosie é uma publicação da Editora Galera Record.

No Resenhando você encontra resenhas de todos os gêneros literários.

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário