Maternidade e o medo de morrer

Já pararam para pensar como o medo de morrer aumentou na sua vida depois que você se tornou mãe?

Mesmo que morrer seja a única certeza que temos, nós sempre vivemos com medo desse momento.

Durante a vida temos medo de perder pessoas e sofrer com a falta delas, mas é depois que a maternidade chega que passamos a temer por nós mesmas. Chega a dar falta de ar pensar em partir e largar um filho nesse mundo para ser criado por outras pessoas.

Só de pensar em não estar ao lado deles em todos os momentos já nos apavora e faz a “caixinha de pedidos” de Deus aumentar ainda mais.

Ser mãe é achar que somos mais fortes do que a Mulher Maravilha, que não podemos adoecer e que seremos imortais. E o Amor de Mãe é Incontestável! 

Mas já que o medo existe temos que saber lidar com ele, e ao invés de deixar ele nos paralisar precisamos tirar dele motivação para aproveitar cada segundo de vida que nos é dado por Deus para cuidar, amar e deixar os ensinamentos que desejamos!

Em dezembro eu tive uma crise de falta de ar com taquicardia que me levou ao hospital, eu nunca havia sentido nada parecido, e claro que o medo do desconhecido já batia a porta.

Fiz muitos exames e um deles apontou um problema ligado a um infarto. No momento em que eu recebi aquela notícia meu coração disparou ainda mais e eu só pensava no pior (porque infelizmente a gente é assim na maioria das vezes). 

Eu ainda repetiria vários exames e podia ser que os outros me dessem uma boa notícia, mas o desespero em pensar que eu pudesse ficar internada bem perto do Natal, ou até ter consequências piores, já me desestabilizou. Eu só pensava na Maria.

De repente me vi pensando na vida dela sem mãe, em não poder ajudar, em não estar ali em todas as fases que ela iria viver (e olha que eu pensei até quando ela tivesse filho e quem iria cuidar dela. E ela só tem 3 anos). 

Com o passar das horas e os cuidados do meu marido que estava ao meu lado fui me acalmando e comecei a acreditar que não daria nada no próximo exame. Rezei muito, muito mesmo! No final, graças a Deus ficou tudo bem. Eu não infartei e fiquei boa pra continuar vivendo com minha família que eu tanto amo!

Depois desse episódio eu fiquei pensando ainda mais sobre esse medo de morrer que apavora tanto as mães. Eu sempre fui do tipo de mãe que quer participar de tudo e aproveitar cada segundo. Porém, com esse susto eu passei a ser ainda mais.

Vamos aproveitar nossos filhos, vamos criar memórias afetivas, vamos perder a neura de ter que fazer tudo e simplesmente sentar no chão para brincar com eles. Vamos ensinar pelo exemplo e passar para eles os valores que acreditamos, assim garantimos que sempre estaremos presentes na vida deles, mesmo se Deus requisitar nossa presença no céu!

E você qual maior medo desenvolveu depois que se tornou mãe?

 

Veja mais historietas de mães!

 

A coluna LiteralMente,mae! é publicada quinzenalmente aos domingos. As opiniões e fatos não refletem necessariamente a opinião de todas as mães, mas sim a vivência da colunista.

Quer trocar experiências comigo? Envie e-mail para gabriela@literalmenteuai.com.br

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário