Malhando com os filhos

Na última semana conversamos sobre como é ler com filho pequeno, agora vou contar minha experiência com a malhação. É certo, que quando chegam os temidos 30 anos o metabolismo fica mais lento e o corpo começa a apresentar sinais da idade, por isso, as mulheres passam a se preocupar mais com o corpo nessa fase “pré-trinta”. A variedade de atividades que existem atualmente é favorável para as mulheres, encontramos aulas de todos os tipos. Contudo, quando nos tornamos mães as coisas já não são tão simples.

Nunca fui do tipo que vivia em academia, mas sempre fiz algum tipo de atividade, já passei por musculação, caminhada, spinning, Jump, aula de dança, zumba… Mas, desde a gravidez não tinha conseguido fazer mais nada. Tem dias que acordo e bate aquele desespero, do tipo, preciso ir para a academia, estou acima do peso e prestes a completar 30 anos.   

Sei que muitas mães conseguem, mas ainda não consigo conciliar as duas coisas. Desde que a Maria nasceu meu horário no trabalho mudou, comecei a pegar mais cedo para aproveitar mais o tempo com ela. Entro às 8h e saio às 17h, mas como BH tem aquele trânsito que vocês conhecem, preciso sair às 7h e só chego após às 18h. Sendo assim, ir pra academia antes não dá, não consigo acordar às 5h, tendo dormido mais de 23h e ainda acordado de madrugada. Rsrsrs

Pensei em ir à noite, mas quando chego em casa e vem a Maria de 1 ano e 7 meses me dando aquele abraço e falando “xaudade mamãe”, não dou conta de sair de novo e deixá-la. Quando eu chego ela gruda em mim! Sei que daqui há um tempo, quando ela estiver maior, será mais fácil, mas, por enquanto eu não consigo.

Mesmo assim eu sei que preciso me mexer e dar um jeito. Foi aí que um amigo me apresentou um programa que me permite malhar em casa assistindo os exercícios pelo computador, o treino tem a duração máxima de 15 min por dia. Na hora que conheci já pensei, esse é excelente, posso fazer com a Maria do lado, vou estar em casa, então será tranquilo. Foi aí que me enganei! rsrsrs

No primeiro dia, cheguei do trabalho e fui fazer junto com uma prima. Gente, foi só eu começar que a Maria largou os brinquedos e veio pedir colo. Eu tentei despistá-la, mas ela só queria colo e pular com a mamãe… Na empolgação do momento a peguei no colo e comecei a malhar. Imagina a dor do dia seguinte. No segundo dia, avisei que não ia ter colo, ela ficou tranquila no chão até chegar os abdominais. No momento em que deitei ela veio correndo sentou na minha barriga achando o máximo eu fazer com ela ali em cima. Quando fui fazer flexão lá estava ela nas minhas costas. E eu fiz o que? Comecei a rir com ela encantada achando que estávamos brincando e continuei na malhação.

Só tem três semanas que comecei, mas já sei que cada dia terei uma novidade. Tem dias que ela me deixa fazer tudo, na maioria dos outros ela vem pra cima de mim em algum momento, e tem dias que só quer colo. Tem momentos que ela já começa a me imitar e fica lá pulando junto comigo. E eu me derreto de amor!

Ainda não vou pra academia, mas já percebo que é possível fazer alguma atividade, sim! Nada de desculpas mamães. Vida de mãe é assim, enrolada, corrida, mas é a melhor coisa do mundo!

E você, como faz atividade física? Conta sua história também!

A imagem de destaque do post foi retirada do Instagram @kosogkaos

A coluna LiteralMente,mae! é publicada quinzenalmente aos domingos. As opiniões e fatos não refletem necessariamente a opinião de todas as mães, mas sim a vivência da colunista.

Quer trocar experiências comigo? Envie e-mail para gabriela@literalmenteuai.com.br

 

 

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário