LiteralMente Carol

O LiteralMente é a reunião de amigos que, apesar de todas as diferenças (e olha que são muitas), encontraram algo em comum, a literatura.

Jornalistas e profissionais da comunicação, apaixonados pelos livros, dedicam um pouquinho do seu tempo livre em prol deste projeto, que literalmente, já modificou a vida de muita gente, inclusive a nossa. Conheça agora Quem orgulhosamente, garante o sucesso do LiteralMente,Uai! há mais de um ano!

Carol é redatora e colunista 

Quem é você? 

Sou Ana Carolina, ou Carolina, ou Ana, ou simplesmente Carol. Nasci em Belo Horizonte, no dia 21 de Dezembro de 1992, ou seja, tenho 25 anos. Um dos meus hobbies preferidos é ler, reunir com amigos e teatro. Sou formada em Relações Públicas, e trabalho com assessoria de imprensa e gestão de redes sociais.

Como a literatura entrou na sua vida?

Através das revistas em quadrinho do autor Maurício de Souza. Quando eu era pequena e estava iniciando no processo de alfabetização, eu ganhei uma coleção dos gibis da turma da Mônica, e aí todos os dias antes de dormir o meu pai lia uma revistinha pra mim, e sempre imitando a voz dos personagens. Com isso fui me apaixonando pela leitura e por escrever.

Tive uma iniciação literária lúdica, e isso me ajudou muito, fui uma das primeiras alunas da sala a aprender ler e na terceira série escrevi uma redação sobre o início da primavera, que foi escolhida como melhor redação da escola.

O que você faz no Literalmente?

Sou redatora e cronista

Qual seu texto (publicado no Lit) preferido?

Ixi, difícil! Pode ser dois? rs. Gosto muito das crônicas “Menina segura o vestido”, que eu conto um pouquinho da minha infância com meu avô, e da “Crush X Inferno Astral: A Eterna Luta Pela Compatibilidade”  que misturo um pouco de uma história que aconteceu comigo com ficção e uma briga entre os signos.  

Quando escrevo crônicas entrego um pouco da imaginação, com as coisas que guardo no coração, e esses dois textos têm muito disso.

Se pudesse escolher apenas um argumento para as pessoas lerem mais, qual seria?

Transformação. Ler transforma.

Quais suas metas de leitura para 2019

Gosto de leituras que me causa ressacas literárias, então minha meta é pelo menos umas 10 ressacas literárias.

Livros que te marcaram em 2018:  

O livro “Todo Dia a Mesma Noite” Daniela Arbex .  O livro é uma reportagem sobre a Boate Kiss, e me marcou porque além de ser uma reportagem muito bem feita, humaniza os personagens dessa tragédia, aumentando ainda mais nossa empatia por essas vítimas.

É uma leitura bem difícil, parei diversas vezes no meio da leitura, chorei muito, me indignei algumas vezes e me senti esperançosa em relação ao mundo, com alguns atos de heroísmo destacados no texto. Sem dúvida é um livro que provoca muitas emoções.

 

::Ping-Pong::

  • Ler é…

Libertador

  • Quem é seu autor (a) favorito?

Álvaro Cardoso Gomes

  • Cite um livro que te marcou

Os Miseráveis, de Victor Hugo

  • Qual livro você mais releu?  

A hora do amor, de Álvaro Cardoso Gomes

  • Nem li, nem lerei?

Livros de terror

  • Um sonho literário

Escrever um romance que seja muito lido

  • Seu personagem favorito  

Beto, do livro “A Hora do Amor”

  • Seu gênero favorito

Romance

  • Uma frase que te inspira

“O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que elas acontecem” (Fernando Pessoa)

Veja outros perfis aqui

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário