Fazendo compras depois de ter filho

Um dia desses estava conversando com alguns amigos do trabalho, durante uma pausa criativa, e surgiu o assunto compras. Comentei que estava precisando comprar algumas sapatilhas com urgência, pois todas as minhas tinham estragado e eu estava indo trabalhar sempre com a mesma. Foi nesse momento que um dos meus colegas soltou a frase: Você está andando com a mesma todos os dias, mas tenho CERTEZA que a Maria tem um sapato pra cada hora do dia. Eu parei, pensei e respondi: Não é que é VERDADE!

Depois dessa conversa parei pra refletir sobre essa questão de como é fazer compras quando se tem filhos. Comprar coisas é como uma terapia contra o estresse! Algumas pessoas compram mais, outras menos, mas adquirir coisas
que você esteja precisando é sempre muito bom, seja antes ou depois dos 30.

Resolver meu problema das sapatilhas seria fácil, é só ir até uma loja de sapato e comprar umas duas, mas e quando chegamos na loja e tem lá uma prateleira só de sapatos infantis, um par mais lindo do que outro. Eu não resisto, é
impossível levar duas pra mim e não levar aquele sapatinho que vai combinar com aquela roupa que esta lá no guarda-roupa esperando pra ser usada. Isso quando não compro primeiro as que ela precisa e quando vejo que já gastei a cota do mês deixo a minha pra ser comprada mais pra frente.

A Maria só tem um aninho e oito meses, mas certamente ela tem mais roupas e sapatos do que eu. Claro que não foram todas compradas por mim, ela ganha muitos presentes. As pessoas sempre chegam com alguma coisa que acharam a cara dela e não resistiram.

Vida de mãe é assim, as prioridades mudam, e ela vai ser sempre minha maior prioridade! Fico feliz quando compro um sapato ou uma roupa nova, mas quando esses itens são pra ela minha felicidade vem em dobro. rsrsrsrs

E com você, como é o momento de comprar as coisas?

A coluna LiteralMente,mae! é publicada quinzenalmente aos domingos. As opiniões e fatos não refletem necessariamente a opinião de todas as mães, mas sim a vivência da colunista.

Quer trocar experiências comigo? Envie e-mail para gabriela@literalmenteuai.com.br

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário