uma pessoa estendendo suas mãos

Estenda sua mão

 

Não ao Homem

Mas para a Humanidade

Que se perde

E fica mais distante

A cada segundo

Que se passa

 

Matamos os nossos

Matamos os outros

Matamos tudo que

Pensamos ser “nosso”

Dizemos ter posse

Quando não somos donos

Nem de nós mesmos

 

Espalhamos o mal

E a morte

Por onde passamos

A natureza

Sem dó depredamos

O mundo

Sem dó o destruímos

 

Dia após dia

Nos tornamos

Piores do que éramos

 

Por favor me ajude…

Me estenda sua mão

Me tire desse caminho

Me leve ao um lugar de paz

E repleto de amor

Me faça cafuné

E diga

Que vai tudo ficar bem

 

Gostou do que leu? se inspire! leia mais:

 

Fim De Ano

Sonho Meu

 

 

Se você além de gostar de poesia, também escreve, divulgue aqui.

Envie seu texto para contato@literalmenteuai.com.br

 

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário