Como ensinar meu filho a torcer pelo meu time?

É obrigação dos pais ensinar o respeito pelos adversário ainda na infância 


Para os papais que gostam de futebol essa é sempre uma pergunta que passa pela cabeça deles “Como fazer meu filho torcer pelo meu time “?

Quando o pai e a mãe torcem pelo mesmo time é mais fácil passar esse amor para os filhos, mesmo que sempre vemos casos que o filho vai ser do contra e escolher um time aleatório. Afinal, amor de torcedor não se explica. A gente ama e pronto.

Mas quando o pai é de um time e a mãe torce para o rival? A situação fica mais difícil! Rsrsr

Como é a torcida em casa?


Na minha casa é assim, me casei com um atleticano e sou uma cruzeirense apaixonada.

Sempre lidamos bem com o fato de sermos rivais no futebol, mas quando o assunto era filho sempre aparecia a questão de como lidar e ensinar a torcer.

Quando engravidei fiz questão de ir no Mineirão e tirar foto com a roupinha do Cruzeiro na barriga, afinal aquele era o único momento que só eu podia escolher que roupinha colocar na barriga, porque depois que ela nascesse a história seria diferente. E apesar de não gostar, meu marido respeitou!

Eu sempre disse que não forçaria a Maria a torcer para o Cruzeiro, eu apenas mostraria como eu amava esse time e caberia a ela a decisão final. Até porque o pai já iria insistir para ela torcer pelo Atlético.

Assim que ela nasceu já tinha roupa dos dois times. Ainda na maternidade eu tive que ver minha princesinha que eu carreguei por nove meses com uma roupa do Atlético. Rsrs. Mas o engraçado foi que isso realmente não me incomodou, pois a felicidade do meu marido em poder viver aquilo foi mais significativo.

O tempo foi passando, ela foi crescendo, e começou a entender que o papai e a mamãe amavam times diferentes.

Nesse momento nós precisávamos ensinar para ela que independentemente do time que ela escolhesse, ela deveria respeitar o outro porque outras pessoas, inclusive as que ela ama, gostam do outro time. Afinal, sabemos que a rivalidade vai existir sempre,  a zoação vai acontecer, mas quando tem respeito tudo fica melhor.

Como ela adora ser do contra ela chegava perto de mim e gritava “Galo” e chegava perto do pai e gritava “Zero”. Rsrsrs

Sempre que ela me pergunta se pode ser do Galo eu digo que sim, mas que eu sou do Cruzeiro. (às vezes dá vontade de dizer não, mas eu resisto)

Sempre reforço que ela pode ser o que ela quiser!

Como é ir ou estádio?

Há umas semanas meu marido quis levá-la ao Mineirão em um jogo do Atlético, e eu tive que ir para ajudar a cuidar. No final do jogo ela me disse com a cara toda assustada “mamãe você é do Zero e foi no jogo do Galo?” Já entendendo que as torcidas não se misturam, mesmo com a pouca idade que tem.

Eu expliquei que tinha ido pra cuidar dela, e ela achou o máximo e contou pra todo mundo que mamãe foi só pra olhar ela, mas é do Zero.

Nesse mesmo dia ela ficou perguntando porque eu não podia ser do Galo ou porque o papai não podia ser do Cruzeiro. Imagino que na cabecinha dela seria tão mais fácil os dois serem do mesmo time. Mas amor de torcedor nunca é tão simples assim.

Eu não sei se ela será cruzeirense, atleticana, americana ou se nem vai gostar de futebol,  mas eu quero ensiná-la desde cedo que independentemente do time que ela amar, ela terá que respeitar os rivais.

Espero que com essa atitude possa formar uma torcedora consciente, que fará do futebol um ambiente que, mesmo na rivalidade, exista mais amor e empatia.

Agora conta aqui pra gente como você ensina seu filho a torcer? E como foi a escolha do time?

 

 A coluna LiteralMente,mae! é publicada quinzenalmente aos domingos. As opiniões e fatos não refletem necessariamente a opinião de todas as mães, mas sim a vivência da colunista.

Quer trocar experiências comigo? Envie e-mail para gabriela@literalmenteuai.com.br

 

 

Anúncios

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário