Homens pretos (não) choram

O projeto

Como você enxerga o homem negro? O que é isto que ainda carregamos como herança dos tempos tão sombrios? Paradigmas. Estereótipos. O pai preto violento e ausente. O neguinho. O negão. Homem preto emasculado e hipersexualizado. Como quebrá-los?

Para oferecer uma visão contemporânea sobre masculinidade e os arquétipos do homem, sobretudo, negro, este livro reunirá 7 crônicas produzidas na quarentena.

Histórias sobre homens pretos e simples, escritas para quebrar estereótipos, desconstruir mitos e conduzir o leitor às reflexões profundas sobre as faces masculinas.

 

As crônicas

Confira a micro sinopse de cada crônica.

01. visceral (sobre virilidade) – Seu Francisco não quer saber do exame toque retal, mas de jeito nenhum! Prefere morrer.

02. pio (sobre solidão) – De tanto ficar calado, Robertinho ficou mudo. A mãe dá chá-de-solta-língua pra curar. Mas como consertar o que quebrou por dentro?

03. dona tagarela (sobre (m)achismo) – Depois que descobriu alívio na psicoterapia, Aluízio passou a ficar à vontade no divã. Até mesmo para contar que mantém alguém em cativeiro há 20 dias.

04. seco (sobre vulnerabilidade) – Enquanto escreve seu testamento, Heleno se dá conta de que não faz ideia do último dia em que chorou. Agora começará uma busca por suas lágrimas.

05. barba (sobre sexualidade) – O que é esse arrepio deslizante na nuca de Ricardo toda vez que Russo faz sua barba? Hmm… Estranho.

06. bilola (sobre identidade) – Seu Bilola vende poedia no metrô. Até hoje sonha em ser professor. Mas com um nome desses…

07. deus proverá (sobre paternidade) –Maldito cavalo que cismou com a horta de Ubaldo, pai de família. Como é que a família vai disputar o almoço e janta com um ser de quatro patas?

 

Livro físico

Dentre outros motivos, entendendo este livro de crônicas como um material que poderá ser passado para pais e avôs, queremos desenvolver uma edição de luxo.

Com um toque clássico, a edição contará com ilustrações antigas, fortalecendo as abordagens. Incluirá clássicos como o famoso “A Redenção de Cam”, de Modesto Brocos e “Le barbie negre à sueza”, de Léon bonnant.

 

Recompensas

Livro autografado no tamanho 16×23 cm, capa com acabamento de toque suave (soft touch), aprox. 250 páginas em pólen 80g (amarelado para melhor leitura), ilustrado com imagens clássicas e com orelhas. Acompanha marcador de páginas.

Ecobag – Pare de ser tóxico

Bolsa sustentável feita com material reciclado. Arte exclusiva para a campanha. Tradução: “Todos nós temos ambos os lados. Pare de ser tóxico”.

Cartão Postal

Cartão postal em papel couché, desenvolvido em tamanho 10x15cm e fundo com endereçamento para postagem.

Pôster impresso + Arte Personalizada desenvolvidos pelo artista Thallys Perilva

Pôster impresso em tamanho A3 acompanhado por película protetora contra amassos e avarias. Arte digital em tamanho A3 com colagem personalizada. Desenvolvida com a sua foto. Ideal para decorações e presentes. Desconto exclusivo para a campanha.

 

O autor

Stefano Volp é escritor, roteirista, jornalista e compositor. Autor de duas publicações financiadas pelo catarse (O Segredo das Larvas) e (Mundo Invertido), Volp também é autor de Nunca Vi a Chuva e Inverno Negro. Fala sobre audiovisual na AUR e tem projetos cinematográficos em desenvolvimento. Em 2020, publicará ainda “A Rebelião das Larvas” e consolidará as atividades da Breu Editorial.

 

Apoie este projeto

 

Mais novidades do mundo literário, clique aqui

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário