Beijo de Outono

 

Um outono comum

As folhas caem

O “verde” perde a cor

E as brisas tomam conta

 

É o momento para

Preparar-se para a primavera

Comigo foi diferente

Caiu foram os pesares

 

Perdi foi o medo

Tomou conta foi o amor

E o momento?

É o de um beijo

 

As costas na parede

O rubor em meu rosto

Associado a um sorriso malicioso

E um olhar fixo em você

 

Estava hesitante em

Fazer o avanço

Mas você estava

Como um pimentão

 

Mal conseguia

Devolver meu olhar…

Te segurei pela cintura

Seus olhos

 

Encontraram os meus

Eles brilhavam e cintilavam

Meu coração disparou

Comecei a tremer

 

Por um momento

Foi como se

O mundo conspirasse

Em nosso favor

 

Como se tudo até ali

Fizesse sentido

E ao tocar

Teus lábios

 

Fechei os olhos…

Pois, há vários tipos de momentos

E esse em especial

É para ser sentido

 

Esqueci-me de tudo

Só o que fiz 

Foi me perder

No prazer desse beijo… AHHH

 

Nessa uma explosão de sensações

Um arrepio percorreu meu corpo

Uma onda de êxtase

Eu posso voar?!

 

Trouxe teu corpo

Mais próximo do meu;

E sem perder tempo

Tempo esse que parecia nem existir

 

Você apertou suas mãos

Em minhas costas

E a desceu lentamente

Arranhando-me

 

Instintivamente

Mordi seus lábios 

E em seguida

Subi minha mão

 

Pelo seu pescoço

E agarrei a raiz

De seu cabelo;

E aos poucos

 

Nosso beijo ganhara

uma intensidade

impossível de ser explicada…

É curioso como

 

Poucos minutos

Passam voando

E escapam

Por entre os dedos

 

E infelizmente

Nosso beijo

Chegara ao

Seu predestinado Fim

 

Mas, outro estava por começar

Seriam os mesmos sentimentos?

Seriam os mesmos toques?

Quem sabe…

 

Cada beijo é um mistério

Mas poucos sabem seu valor

E tão poucos o valorizam

E ainda menos buscam conhecê-lo

 

Gostou dessa poesia? Clique aqui e se inspire, reflita e viaje pela imaginação que poucas palavras são capazes de trazer…

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário