O jornalista Juca Kfouri é o primeiro convidado do projeto Sempre um Papo

Referência no mundo futebol, Juca Kfouri é jornalista, foi diretor das revistas Placar e Playboy e colunista dos jornais O Globo e Folha de S.Paulo. Como comentarista esportivo, passou por várias redes de televisão e atualmente está na ESPN-Brasil e na Rádio CBN. É autor dos livros A Emoção Corinthians (1982), Meninos eu vi (2003) e Por que não desisto (2009).

Juca vai abrir com chave de ouro a temporada 2018 do projeto Sempre Um Papo. Ele vai falar sobre o lançamento do livro “Confesso que Perdi – Memórias” (Cia das Letras) que traz memórias do jornalista ao longo de mais de 4 décadas na profissão.

Sinopse: Em quase cinquenta anos de atuação como jornalista, Juca Kfouri acompanhou de perto, como observador ou participante (e muitas vezes as duas coisas), experiências fundamentais do mundo da política, da cultura e do esporte. O saldo é uma inescapável sensação de derrota, compartilhada nas memórias que o autor registra em Confesso que perdi. Juca cobriu todas as Copas do Mundo desde 1982, e já havia participado indiretamente da cobertura das Copas de 1970, 1974 e 1978. À frente da revista Placar, foi responsável por desvendar e denunciar a chamada “máfia da loteria esportiva”, e por memoráveis capas como a que trazia seu amigo Sócrates posando como “O pensador”, de Rodin. Na Playboy, revista que também dirigiu, Juca publicou entrevistas e reportagens notáveis, como a que revelou a identidade do desenhista Carlos Zéfiro, um segredo que durava mais de trinta anos: tratava-se do funcionário público Alcides Caminha, parceiro de Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito. Tendo se oposto à construção do Itaquerão, o corintiano Juca estava no meio da torcida na fatídica noite de 1977, quando o time quebrou o jejum de mais de vinte anos sem títulos. “Não sei como, fui parar no gramado do Morumbi, com uma bandeira na mão, bandeira que não levara ao estádio e não me recordo de ter comprado”, lembra, sem lembrar. É com a sinceridade de quem sabe que a memória é traidora que o autor nos oferece essas deliciosas confissões de derrota.

O evento será no dia 20 de fevereiro, terça-feira, às 19h30, com entrada gratuita, no auditório da Cemig (Rua Alvarenga Peixoto, 1200, Santo Agostinho/BH).

Confira a programação completa do Sempre um Papo

Quer ficar por dentro dos eventos literários que acontecem em BH? Acesse a nossa Agenda

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe seu comentário