Vida. O que é a vida para você? | Por Nathália Gorito

Para mim, a vida (aqui na Terra) é um breve momento. Ora leve, ora cheio de interrogações e umas pedras no meio do caminho.

No final da vida é que a gente sente o verdadeiro sabor de tudo o que vivemos. Podemos nos deleitar no sabor do amor, das alegrias e do bem que espalhamos e fizemos aos outros; ou podemos, simplesmente, sentir o gosto amargo de ter vivido somente de preocupações egoístas e materialistas. 

Nesses últimos anos, tenho vivenciado muitas passagens para a vida espiritual. Elas não são nem um pouco fáceis para nós que ficamos aqui. Aliás, com o perdão do palavreado, essas partidas doem pra caralho!

Às vezes doem a ponto de acharmos que não vamos dar conta de superá-las. Mas a despedida de um amigo, me fez refletir MUITO sobre o que quero para a vida. E, sinceramente, acho que consegui chegar a uma conclusão.

Eu quero ser mais resiliente.

Quero poder ajudar o outro.

Quero fazer as pessoas rirem.

Rirem até mesmo dos momentos constrangedores que inevitavelmente acontecem. Quero saber fazer os outros felizes com pouco. 

Ser lembrada não por ser bonitinha, jornalista ou sei lá o quê, mas por ter amado, por ter levado uma palavra de consolo quando o outro mais precisava, ou mesmo por ter ficado em um abraço silencioso apenas esperando passar um momento ruim. 

Essas lembranças, as boas lembranças, são as que realmente ficam. São as coisas mais valiosas que podemos deixar de herança. São os abraços, os carinhos, os sorrisos, a presença. 


Cara, você sabe quando fará a passagem para sua verdadeira casa? Você é feliz hoje? Tem feito alguém feliz? 

Acho que alguém soprou no meu ouvido que eu devo ser feliz e fazer os outros felizes para propagar a sensação de gratidão. Deixar aqueles que foram com a sensação de dever cumprido, sabe? 

Afinal, como já dizia Chico Xavier: “Ninguém cruza nosso caminho por acaso e nós não entramos na vida de alguém sem nenhuma razão”. Todos estamos aqui para ensinar e aprender. Todos nós estamos aqui para fechar um ciclo e depois começar outro, e outro, e outro… 

A vida é um mistério. Não sabemos e não vamos saber o que vai acontecer no futuro próximo ou distante. Não sabemos a hora que nosso “avião espiritual” vai decolar. Precisamos viver. Viver bem e para o bem. Pensar e preocupar também com o outro.

Querer ser e não ter. Querer mais amar do que ser amado. Dar mais do que receber.

 Quando a gente é, ama, dá, a recompensa vem na forma mais valiosa que você possa imaginar. A lei de causa e efeito existe e conhecê-la é fundamental para que possamos tomar decisões que nos ajudam a evoluir. Faça o outro feliz e, consequentemente, você também será! 

Cris, obrigada por ter sido uma presença tão marcante em minha vida e, mesmo após sua partida, me fazer pensar!

Agradecemos a confiança da jornalista Nathália Gorito. Se você também tem um texto, poema, reflexões, crônicas ou contos, e desejo divulgá-lo, envie para nós contato@literalmenteuai.com.br

Confira aqui outras colaborações dos nossos seguidores 😍 

A essência e aparência da vida: Rúbia Costa

Meu mundo invertido: Felipe Andrade

Dependência amorosa: Samuel Reis

O despertador: Natália Cristina

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *