Vacinar os filhos ou não. Eis a questão! 

A vacinação é um assunto que tem ficado muito em alta ultimamente e as opiniões se misturam diante de perguntas sobre vacinar ou não os filhos.

A fase das vacinas não é fácil,  afinal ninguém gosta de ver seu filho sendo furado por uma agulha. Mas, hoje em dia eu já tenho certeza de que a furadinha dói mais em nós do que nas crianças.

Geralmente quem leva a Maria para tomar as vacinas lá em casa é o meu marido. Eu fui com ela apenas uma vez. No dia em que levei, era pra tomar 4 de uma vez só, uma gotinha e 3 injeções.

Ela era bem bebezinha e não entendia nada. Foi muito tranquilo. Eu fui com muito medo dela sentir dor, se assustar e chorar muito, mas ela me surpreendeu e chorou em apenas uma, e um chorinho que durou apenas alguns segundos.

Nós viemos de uma geração na qual as pessoas faziam medo e criavam um terror em torno da vacina.

Mas com o tempo vamos aprendendo que não é tão sofrido quanto era “pintados”.

Sempre que a Maria vai vacinar com o papai ela me liga para contar que está indo e na volta conta que nem chorou porque nem doeu.

Pelas notícias em jornais e internet tenho visto um aumento de pessoas que não vacinam seus filhos, seja por não ser à favor da vacinação ou simplesmente por descuido. Por isso acho muito válido reforçar que vacinar nossos filhos é um ato de amor e proteção!

Muitas doença já foram erradicadas do país devido à vacinação.

Sei que é muito difícil tomar a decisão de vacinar quando lemos casos de crianças que ficaram doentes devido a vacina ou que chegaram até a falecer. O coração dói e a vontade de proteger nossa cria é grande, mas é preciso colocar na balança e decidir sobre o que vai pesar mais.

É claro que respeito a decisão de todos os pais e cada um sabe a melhor forma de cuidar de seus filhos, mas eu sou a favor da vacinação!

Por isso, hoje quero fazer um alerta para que sempre que for tomar uma decisão pesquise em lugares confiáveis, não confie apenas em texto disponibilizados na Internet, sem fonte e sem credibilidade ou correntes. Pesquise sobre os mitos e verdades em torno do assunto e quais as reações podem ocorrer, para que você não se assuste com os sintomas.  

Eu já li relatos que me assustaram e quase me fizeram não querer vacinar mais, mas busquei fontes confiáveis que me mostraram os benefícios de vacinar os filhos.

Assim eu sigo com os cartões de vacina em dia!

Vacinar ou não? A escolhas é sua, então faça com muita consciência!

Bagunça de criança: Como lidar com essa fase

Meu filho não come

Colinho de mãe

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *