Solteira depois dos 30…

Por Joseane Santos

Como diria um poeta chamado Rafael Magalhães de um dos meus blogs favoritos, Precisava escrever, “estou solteira, não desesperada”. 

Sabe… ando tão bem comigo mesma! Como nunca imaginei que ficaria. Para entrar no meu mundinho particular, vai ter que ser um alguém bem incrível, um homem que ajude transbordar a pessoa que sou.

Lembro-me quando era adolescente, e lá se vai algum tempo, queria tanto essa independência que tenho hoje, poder chegar em casa sentar na minha poltrona favorita, com uma xícara de chá bem quente e um bom livro, e não sentir falta de mais nada. Isso não tem preço. Poder sentir a brisa leve bater de manhã, e um sentimento de gratidão por ser completo invadir o coração.

Está tão bom sabe, tenho pouquíssimas ambições na vida, e a maior delas é ser feliz com o que tenho. E, me traz uma paz poder dizer isso do lugar que estou. Os anos estão passando eu sei, mas não vou me render a amores baratos só porque acham que eu já deveria ter usado véu e grinalda.

Podem dar o nome que quiserem, se isso significar uma mulher feliz aceito todos.

A vida é muito mais poética do que isso, e poesia não se abrevia, lê com calma, se delicia. Acredito muito no amor, no poder que ele tem em nós, e por acreditar tanto que não permito que me digam que está tarde, que não vem mais. Mal sabem eles que já o encontrei, já o conheci, que chegou no dia que enxerguei o ser incrível que sou, e me aceitei de verdade.

Então, solte os cabelos, feche os olhos, e aproveite a brisa leve. Se tiver com quem compartilhar, ótimo, se não, sobra mais pra você.

 

Agradecemos a Joseane que nos brindou com essa belíssima reflexão. Participe você também! Escolha uma coluna e envie suas reflexões.

Ainda não fez 30, temos uma seção especial para você! “Antes dos 30” e “Antes dos 30, com filhos“.

A coluna Depois dos 30 é publicada aqui toda quinta-feira. As opiniões e fatos não refletem necessariamente a opinião de todas as mulheres que já passaram dos 30, mas sim a vivência das colunistas deste site.
Envie seu e-mail para a colunista: elis@literalmenteuai.com.br

 

 

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *