Sierra Burgess é uma Loser: 5 lições que o filme nos dá

E a Netflix continua derrubando todos os nossos forninhos com as adaptações literárias fofas “Para todos os garotos que já amei” e “ A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata”, e os filmes amorzinhos no melhor estilo anos 90, que marcaram a vida de uma geração.

O grande sucesso do momento, que aliás ficou o dia todo figurando nos trends do Twitter, é o fofíssimo “Sierra Burgess é uma Loser”.

Sinopse: Uma mensagem enviada por engano dá início ao romance virtual entre uma nerd e um atleta. O problema é que ele acha que está falando com uma popular líder de torcida.

Sierra é uma boa aluna, dedicada e inteligente, engraçada, mas considerada pelas garotas populares como uma perdedora. Verônica é típica garota popular, 20 mil seguidores no Instagram, líder de torcida obcecada e obstinada a acabar com a vida dos fracassados, seu principal alvo, claro, é Sierra. E a escola é o ambiente propício para Verônica destilar toda a sua hostilidade.

Acontece que Sierra é dessas que nunca se importou com a aparência, vive sua vida com humor, ao lado do amigo aparentemente “gay” Daniel. Sierra só pensa em entrar na universidade, mas apesar do currículo impecável, a orientadora exige que ela tenha algo de destaque no currículo, que não seja a genialidade do pai famoso.

Em mais uma das maldades de Verônica, o telefone de Sierra vai parar nas mãos do quarterback do time de futebol (e que crush!!), que se apaixona de cara pela inteligência e sagacidade da dona das mensagens.

Confira o trailer: 

Se você imagina que é mais um clichê americano, com colégio, garotas populares x inteligentes, mentiras, aposta e bullying …. Se engana! Em pouco mais de 1h30 minutos, a trama dá um show de autoestima, empoderamento e outras lições que a Herlane e eu listamos aqui.

O vazio das relações virtuais: O primeiro passo para o desenrolar da trama é a conversa entre o James e a Sierra. Eles nunca se viram e já há uma entrega por parte dele (mesmo que ele pense que está conversando com a Veronica) em mandar foto, selfie sem camisa, expor a família, sem se certificar de quem realmente está do outro lado do telefone. Aliás, o amigo da Sierra ressalta a todo momento a possibilidade do James ser um estuprador ou serial killer. A obsessão desta geração pelo mundo virtual também não passou despercebido. Enquanto a Veronica busca a exposição, ressalta a quantidade de seguidores, Sierra não se interessa nenhum pouco por esse mundo, inclusive critica.

Autoestima e insegurança: Apesar de ser uma adolescente sensível, engraçada, inteligente, e não se importar com a aparência, quando se vê apaixonada por James, Sierra acredita que apenas sua personalidade não é suficiente para encantar o atleta e que não se encaixa exatamente nos padrões de beleza das garotas populares do colégio. Mostrar o quão é difícil a alcançar essa aceitação, parece uma fórmula batida, mas que ainda se faz muito pertinente hoje.

O poder da amizade: Apesar de ser um romance, a amizade entre as duas é o ponto alto do filme. Como são diferentes, mas ao mesmo tempo iguais pois, carregam sobre os ombros o peso da expectativa familiar que impôs a elas um estilo de vida. Amizade é doação e troca. Elas se apoiaram, se abriram, se perdoaram e mudaram o rumo das suas vidas. Não tem rivalidade entre elas e isso foi lindo demais.

Família e futuro: A família pode ajudar, mas também pode atrapalhar e muito. Sierra cresceu sob a sombra do pai, um gênio da literatura, e da mãe, uma mulher linda e bem-sucedida que não enxerga exatamente a personalidade e não entende o mundo da filha. Distanciamento apesar da presença constante. Os pais simplesmente não sabem o que se passa com os filhos e vice-versa. Ela precisa contar com a ajuda de uma professora pra lá de gente boa, e com o desenrolar dos acontecimentos da trama para se encontrar, desenvolver seus verdadeiros dons e apresentá-lo a família, que não tem ideia do que ela é capaz. 

O empoderamento e o amor: O primeiro da sua vida é você! Se ame e não leve para sua vida o que as pessoas acham de você. O verdadeiro amor da sua vida te aceitará do jeitinho que você é… Como dizem aqui em Minas “sem tirar nem pôr” cada panela tem sua tampa.

Crush: Uma pausa final para apreciarmos esse ícone!  

 “Sierra Burgess é uma Loser” é um romance fofo, divertido, com uma trilha sonora leve e um elenco jovem promissor. A empatia com a trama é imediata, em função da história comum a todos que um dia já pisaram numa escola, e também pela escolha dos atores. Sensacionais e de muito talento! Sobretudo a atriz Shannon Purser que aliás, canta a canção final do girassol.

 “Sierra Burgess é uma Loser” mostra que aquele velho lema “seja você mesmo” vale a muito pena. Ela não precisou mudar sua aparência nem a sua vida para dar a volta por cima. 

Por Elis Souza e Herlane Meira

 

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *