Reflexões sobre o Dia dos Pais

Uma relação linda, mas em alguns casos é repleta de vazios

Essa semana, quando estava postando a coluna, me dei conta de que ela iria ser publicada exatamente no Dia dos Pais, nesse momento parei para refletir sobre essa data e decidi mudar o tema e escrever um pouco sobre essa relação linda em alguns casos e cheia de vazios em outros.

Como eu já comentei aqui, ano passado perdi meu pai após uma dolorosa luta contra um câncer. Além da falta que sinto dele todos os dias, fiquei com uma sensação de vazio quando o assunto é sobre pai.

É muito estranho quando vou conversar com outras pessoas e elas comentam coisas sobre seus pais como: “Meu pai é assim” “Meu pai gosta disso”, entre outras coisas, pois nas primeiras conversas eu acabava dizendo que meu pai também gostava ou fazia algo e só depois percebia que o “gostava” que eu estava dizendo deveria ser usado no passado, pois ele não está mais aqui, e nesse momento batia o vazio no peito.

É muito difícil acostumar com essa situação, é difícil pensar no dia dos pais sem ter ele aqui. Mas essa minha dificuldade me fez refletir sobre como as criança que não tem pais lidam com essa situação a vida todas.

Se é difícil para mim que já entendo mais sobre a vida, imagina para uma criança que está começando a se desenvolver. Fico pensando o quanto essa falta deve confundir a cabecinha delas.

A minha filha tem um pai maravilhoso e é lindo ver a relação deles, as vezes paro para observar os dois e fico pensando como um homem pode abrir mão de ter uma relação assim?

Tenho uma priminha de 10 anos que o pai simplesmente sumiu da vida dela, ela sabe que tem, mas não tem contato com ele. Essa semana minha filha chegou perto dela e perguntou “Cadê seu papai?” (criança acha que todo mundo tem que ter pai e mãe ), ela simplesmente virou e disse “Sei lá, só Deus sabe!”.

Diante disso fiquei pensando será que ela não liga para a situação ou inconscientemente está se fazendo de forte? Não estamos no coração das crianças para saber o que se passa, mas é muito importante ter atenção, principalmente em data como a de hoje.

A criança deve se sentir amada e protegida e é lindo ver como as mães de crianças que não tem pais (seja por ter perdido, ou por ter sumido) são exemplos de mulheres que batalham para cumprir os dois papéis na vida dos filhos. E fazem isso maravilhosamente bem!

Por isso hoje, no Dia dos Pais,  quero parabenizar os papais que sabem a importância do seu papel na vida de um filho e as mamães que precisam também ser pai para os seus filhos e que fazem esse papel com muito amor, dedicação e competência!

Vocês são demais e merecem parabéns todos os dias!

Gostou dessa coluna? Aproveita e vem ler também o texto sobre Ser Mãe!

A coluna LiteralMente,mae! é publicada quinzenalmente aos domingos. As opiniões e fatos não refletem necessariamente a opinião de todas as mães, mas sim a vivência da colunista.

Quer trocar experiências comigo? Envie e-mail para gabriela@literalmenteuai.com.br

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *