O Mistério do Relógio na Parede – John Bellairs

No melhor estilo Coleção Vaga-lume, O mistério do relógio na parede, traz uma aventura fantástica sucinta e divertida

O Mistério do Relógio na Parede faz parte de uma trilogia de um dos autores juvenis mais respeitados dos Estados Unidos, John Bellairs. A trilogia traz as fantásticas aventuras do menino Lewis Barnavelt.

Lewis é um menino de 10 anos que, após as mortes dos pais em trágico acidente, é enviado para morar com o seu tio Jonathan, um homem recluso e distante da família. Lewis vai para a cidade de Nova Zebedee no Michigan, sem nunca sequer ter visto esse parente.

Lewis é um menino destemido (até demais), que se sente muito grato pelo tio o ter aceitado em casa. Ele teme ser enviado para um reformatório. A empatia entre eles é imediata, o tio Jonathan é muito legal e atencioso. Porém, Lewis percebe que o tio e a sua mansão têm algo de especial, diferente, e claro, ele vai investigar.

“Sem dúvida seu tio era um sujeito estranho, mas era estranho de um modo agradável.” (pág.12)

Jonathan é um mago modesto, se autodenomina um “mágico de salão”, e realmente no primeiro livro não dá muito pra se ter a dimensão dos poderes dele, que aparece em pequenas transformações e um rápido eclipse. Jonathan é sincero, divertido, e não esconde nada do sobrinho, gostei disso. Por isso, logo nos primeiros capítulos, Lewis já conhece a história de Jonathan com a magia e o motivo da sua mudança para a casa do feiticeiro, Isaac Izard, após sua morte misteriosa.

O livro tem poucos personagens o que é bom para a identificação rápida do leitor com a história. A Sra Zimmermann é a representação feminina da trama, a melhor amiga e vizinha e Jonathan. Ela é uma feiticeira do bem, adora roxo e biscoitos de chocolate. Juntos eles tentam resolver o grande mistério, achar o relógio que tiquetaqueia sem parar em toda parte da casa.

O que ninguém imagina é que algo mais está para acontecer, na tentativa de impressionar Tarby, um coleguinha da escola, vencer o bullying e ser aceito pelos novos colegas, Lewis vai participar de um ritual bizarro (e assustador) que acaba despertando um grande mal. Colocando o futuro do universo nas mãos de Lewis, Jonathan e da Sra, Zimmermann.

O livro é repleto de elementos e cenários tipicamente fantásticos: magia, mansões assombradas, tempestades poderosas, sinistros noturnos, cemitério e os mortos, aventura, mesclando com problemas reais como o bullying, perda, e a amizade. É um livro de apresentação da história, bem introdutório, preparando o leitor para os próximos livros, embora este tenha um final satisfatório.Eu li em poucas horas.

É importante lembrar que este é um livro infantil, escrito há mais de 40 anos. A história é sucinta e bem simples, embora alguns fatos tenha me assustado um pouco (rs). A história se desenrola muito rapidamente, e a espera por uma adaptação é inevitável pelas perfeitas descrições da magia, dos cenários e da aura de mistério e fantasia.

Confira o trailler: 

O filme: O diferencial da literatura de fantasia é a possibilidade do leitor soltar ainda mais a sua imaginação, mergulhar nos cenários fantásticos, e captar toda a essência que o escritor cravou na sua história.

De uma certa forma a adaptação literária é uma maneira de reafirmar essa imersão, e já adianto que a adaptação de “O mistério do relógio na parede” supera a obra literária por trazer novos elementos à trama e por dar vida a detalhes que passaram despercebidos na leitura, como o incessante tique-taque do relógio misterioso. Simplesmente não dá pra esquecer a sua existência (rs), algo que no livro não impacta tanto.

A adaptação foi escrita por Eric Kripke que é apenas o criador da série de TV Sobrenatural (no ar a mais de 10 anos) e dirigida por uma das principais referências em filmes de terror, o diretor Eli Roth (O Albergue, Bata antes de entrar, Cabana do inferno, Piranha). Os produtores mantiveram o cerne da história do menino órfão que precisa encarar uma nova vida com desconhecidos, recomeçar após a perda dos pais, mas acaba se envolvendo com o sobrenatural e vivendo uma aventura misteriosa e assustadora.

Cena filme

O ritmo da trama é frenético e não tem tédio, tão pouco enrolação. Não espere aqui por um único clímax, a expectativa ronda cada cena e quando menos se espera, você já está à espera de uma continuação. A atmosfera sombria de suspense e mistério paira o tempo todo sobre a obra, desde a típica mansão mal assombrada repleta de relógios e objetos macabros, como representações demoníacas, palhaços e bonecas, móveis falantes, animais fantásticos, tudo isso envolto a muita escuridão, alguns raios, chuva e trovões, e com direito até a alguns sustinhos, e claro! Tudo isso com o tiquetaquear pulsante do relógio do fim do mundo como principal trilha sonora.

Para criar todo esse clima, foram inseridas cenas que não existem no livro, mas que fizeram total sentido a trama. Deu agilidade, prendeu a atenção e aguçou a vontade de querer saber mais sobre o destino do trio.

Um dos grandes acertos da adaptação foi a escolha do elenco. Os atores casaram perfeitamente com os traços e a personalidade dos personagens literários. Tudo bem que faltou um pouquinho mais de rugas para a premiadíssima Cate Blanchett (ganhadora de dois Oscars), viver a feiticeira Sra Zimmerman, mas isso é irrelevante diante da atuação da atriz nesta aventura infantojuvenil. Com toda sua elegância, ela deu vida a feiticeira poderosa, que aliás fica muito bem de roxo, e assim como no livro a personagem é um dos grandes destaques da trama.

Para o papel do tiozão boa praça, temos o ator Jack Black, de onde já se espera uma pitada de humor, que também é marca do personagem do livro. Quem vive Lewis é o pequeno, porém muito talentoso, Owen Vaccaro. A afinidade entre os três personagens garante uma boa química e a cumplicidade necessária para salvar o mundo.

Cena filme

“O mistério do relógio na parede” é um filme despretensioso, que se diferencia das demais adaptações recentes de literatura fantástica por conseguir entregar uma aventura simpática e ao mesmo tempo levemente assustadora. Acompanha a evolução e a inteligência do seu público-alvo, que anseia por novidades. Por isso, acredito que o filme irá agradar aos pequenos e a quem for acompanhá-los nos cinemas.

“O Mistério do relógio na parede” estreia nos cinemas brasileiros em 20 de setembro.

Livros ou suas adaptações? É sempre polêmico, né? Veja outros comparativos aqui

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *