Já parou para pensar, qual novela mexicana você mais gosta? Nesse Top 5 vamos listar algumas das novelas que mais fizeram sucesso no Brasil

 

Com certeza você já escutou alguém falando mal das novelas mexicanas. Muitos chamam de bregas, dizem que são ruins, mas lá no fundo tem aquela produção da Televisa que, até o telespectador mais exigente, confessa que gosta. E olha, eu falo pra vocês que tem muita história boa.

Pensando nisso, listamos cinco telenovelas que merecem a sua atenção. Difícil pensar em apenas cinco, mas vamos lá.

 

1 – Maria do Bairro (1995)

Podemos acrescentar nessa lista a trilogia de Marias da Thalia (‘Maria Mercedes’ – 1992, ‘Marimar’ – 1994 e ‘Maria do Bairro’ -1995) um ícone de novela mexicana . Cara, como pode uma emissora lançar três novelas com praticamente o mesmo enredo, a mesma atriz protagonista e, mesmo assim, a gente assistir como se fosse algo totalmente novo. Estranho isso, né?! A história é basicamente a mesma: uma moça pobre que conhece um cara rico e sua vida muda do nada.

O que muda nas novelas é a forma como a personagem título fica rica. De resto, temos muito choro, brigas e uma protagonista que sofre horrores. Das três, a que fez mais sucesso foi ‘Maria do Bairro’ (1995), novela baseada no sucesso ‘Os Ricos também Choram’ (1979), novela que é um remake da venezuelana ‘Raquel’. Curiosamente, ‘Os Ricos’ já foi exibida pelo SBT em duas oportunidades: em 1982, em sua versão original, sendo a primeira novela mexicana exibida no canal. Exibida também em 1983, em uma reprise. A novela ainda foi adaptada pela emissora paulista, em 2005, protagonizada por Márcio Kieling e Thaís Fersoza.

Mas voltando a ‘Maria do Bairro’, a novela fez e faz tanto sucesso no Brasil que já foi levada ao ar sete vezes. A primeira exibição foi em 1997, sendo reprisada ainda em 1997. Devido ao enorme sucesso ganhou novas reprises em 2004, 2007, 2012, 2013 e 2015. E o sucesso da telenovela é mundial: a trama foi exibida em pelo menos 54 países.

Ponto positivo da novela, além da história que é simples e bem contada, está na vilã Soraya Montenegro.

 

2 – A Usurpadora (1998)

 

‘Não diga alô, diga A Usurpadora’.

Lembra-se disso? HAHA a gente até ligava para a casa das pessoas na hora da novela só pra zoar. E claro, tinha mãe que não gostava, porque achava que era mesmo o SBT. Fato é que a história das gêmeas Paulina e Paola conquistou o Brasil. E não é para menos! Depois das gêmeas tupiniquins, Rute e Raquel, as irmãs interpretadas por Gabriela Spanic são um show a parte.

De personalidades completamente diferentes, as duas se encontram em um clube de jogos e, depois de um golpe armado por Paola, Paulina é obrigada a passar um ano em seu lugar na mansão da família Bracho.

Com crianças mimadas, uma matriarca alcoólatra, uma cunhada amargurada e tantos outros problemas, Paulina entra literalmente em um inferno, onde precisa a todo custo manter o segredo de troca de lugar com a verdadeira Paola. E nesse um ano, ela muda a história da família Bracho.

Assim como ‘Maria do Bairro’, ‘A Usurpadora’ é uma das campeãs de exibição no Brasil. Foi exibida pela primeira vez em 1999 e reprisada por outras seis vezes: 2000, 2005, 2007, 2013, 2015 e 2016. Destaque para a audiência de sua primeira exibição: a média de audiência foi de 21 pontos, de acordo com o Ibope. O último capítulo cravou 30 pontos. Um marco!

 

3 – A Madrasta (2005)

Maria é uma mulher pobre, que trabalha como secretária nas empresas San Román. Ela se casa com o dono da empresa, Estevão San Román, com quem tem dois filhos: Heitor e Estrela. O casamento é alvo de ódio de Alba, tia de Estevão, que é apaixonada pelo sobrinho. Em uma viagem de negócios, Estevão e Maria viajam junto com os sócios e ‘amigos’: Daniela, Demétrio, Fabíola, Bruno, Evandro, Alba, Carmen e Patrícia. Nessa viagem, Patrícia é assassinada e Maria, mesmo sendo inocente, é julgada e condenada à prisão perpétua por causa do crime.

Após 20 anos, Maria consegue um indulto, volta para a casa e descobre que um quadro com a foto de uma desconhecida foi apresentada aos filhos como mãe. Para recuperar sua família, Maria promete descobrir quem é o verdadeiro assassino de Patrícia e, para ficar perto da família, se casa novamente com Estevão, tornando-se a madrasta dos próprios filhos.

No quesito audiência, ‘A Madrasta’ foi muito bem. Exibida às 15h30, a trama estreou com 11 pontos, manteve 9 pontos de média e seu último capítulo foi líder no horário, marcando 13 pontos.

 

4 – A Feia Mais Bela (2006)

A história é mais batida do que massa de bolo: uma mulher feia que tenta a sorte em uma grande empresa. Digo que a história é batida devido a grande quantidade de versões. A original, é a telenovela colombiana ‘Yo soy Betty, la fea’ de 1999 e exibida no Brasil pela Rede TV!, em 2002. Além da versão original e da versão mexicana, ainda foram produzidas a série ‘Ugly Betty’, pela emissora americana ABC e ‘Feia, a Bela’, produzida pela Record TV.

Disse que a fórmula é batida, mas é genial! Letícia, ou Lety, como é chamada a personagem principal na versão mexicana, é feia de doer, mas inteligente em um nível absurdo, tornando-se indispensável para a empresa comandada por Fernando Mendiola. Detalhe: nunca uma secretária da Conceitos foi tão feia como Lety. Para piorar, ‘a feia’ se torna a dona da empresa. Claro que ela se transforma em uma mulher bela, mas até isso, um monte de problemas e histórias engraçadas são apresentadas nos 300 capítulos da trama.

Um destaque interessante: a Globo chegou a adquirir a novela, na versão original, para impedir a compra pelo SBT. Pouco depois, após desembolsar cerca de 3 milhões de dólares, ‘Betty, a Feia’ foi a primeira novela apresentada pela Rede TV!. E fez bonito: a audiência oscilou entre 4 e 5 pontos. O programa ‘Repórter Cidadão’, a maior audiência do canal na época, marcava 6 pontos.  Já ‘A Feia mais Bela’ rendeu ao SBT 9 pontos e picos de 12. Como sambou em diversos horários pela grade da emissora, isso foi um feito.

 

5 – Rubi (2004)

Diferente de tudo que a gente é acostumado, em ‘Rubi’, a protagonista é a vilã. E vamos combinar: a gente adora torcer para os vilões, não é mesmo? A novela foi exibida pela primeira vez em 1968, ganhou um filme com mesmo nome em 1970. Em 1989, a telenovela ‘Teresa’ foi acusada de plágio por ser muito semelhante a ‘Rubi’.  ‘Teresa’ inclusive ganhou uma versão da TV Tupi no Brasil, em 1965. Detalhe: os dois remakes das telenovelas foram exibidas pelo SBT em 2005 e 2015, respectivamente.

A história se baseia na ganância de Rubi, que luta a todo custo para ser rica, desprezando tudo e todos. Ela se torna amiga de Maribel, uma moça rica que ficou deficiente após um acidente. Claro que a amizade é por puro interesse. A vida de Rubi é uma roda gigante. Ela até chega a ficar rica, mas perde tudo, inclusive a beleza e a perna após um acidente. O final da trama chama atenção porque sugere uma continuação. Ela começa a treinar sua sobrinha para continuar sua vingança.

A telenovela foi apresentada pelo SBT em 2005 reprisada em 2006 e em 2013. Na primeira exibição a novela marcou 9 pontos na estreia e alcançou excelentes 15 pontos na reta final. Nas reprises teve médias entre 8, 9 e 6,5.

Claro que tem tantas outras novelas memoráveis que podemos citar aqui e você pode contribuir. Diz aí: qual novela você colocaria na lista? Em outras colunas falaremos mais de novelas mexicanas. Já adianto pra você que o tema vai render uma trilogia de colunas… Inclusive com um Top 5 de novelas infantis e outra curiosidade.  

 

A coluna  Território Livre é publicada aqui toda quarta-feira. Converse com o colunista.  

Envie um e-mail para deni@literalmenteuai.com.br

Você pode também entrar em contato pelo twitter: @denicarlo

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *