Livia Brazil é a autora do mês de dezembro

A adolescência é uma época bem complicada. É um turbilhão de emoções e confusão passando pela cabeça dos jovens todos os dias, e, no meio disso tudo, eles tentam descobrir quem são e quem gostaria de ser.

A leitura é uma grande aliada nesses momentos. A identificação com o personagem de alguma história, que esteja passando por uma situação parecida com a vida real, pode ajudar diversos adolescentes a refletirem sobre o que está acontecendo.

Mas não pense que escrever para esse público é uma tarefa fácil, muito pelo contrário. É através de uma experiência literária boa ou ruim, que aquele adolescente pode se tornar um leitor ávido ou não.

Por isso, a literatura jovem, new adult e chick-lit são tão importantes. Além de ajudar na consolidação do leitor, que está entrando na fase adulta, ajuda na formação senso crítico com a realidade em que estão inseridos. A literatura ainda contribui na formação da identidade desses jovens. Em vista disto, escolhemos como autora deste mês a carioca Livia Brazil.

Quem é Livia Brazil?

É uma jovem carioca que adora poesia, feminista, doida por musicais, viciada em café, que ama de paixão animais e sonha em mudar o mundo pra melhor, também com a escrita.

Livia já tem dois livros publicados pela editora Benvirá: “Queria tanto” (2011) e “Coisas não ditas” (2013). Todos voltados para o público infanto-juvenil.

Ela também mantém um blog onde fala não só de livros, mas também sobre músicas, séries e filmes. Acesse aqui.

“Queria Tanto” é seu romance de estreia. Ele conta a história de Alice Maria, uma garota de 20 e poucos anos que mora sozinha, tem grandes amigos, um emprego de cenógrafa que a faz ralar muito e é perdidamente apaixonada por Gabriel, que tem muito tesão por ela, o que seria ótimo, se ele não fosse gay. Aí aparece Rodrigo, que quer ter algo sério com Alice, mas ela foge com medo de o amor de verdade machucar… Com a ajuda e os conselhos nem sempre muito sutis de seus amigos, Alice embarca em uma aventura de descobertas e sentimentos, cheia de humor e delicadeza. Tudo está registrado em seu diário. Uma história divertida, emocionante, passada em dias ensolarados do Rio de Janeiro.

“Coisas Não Ditas” traz a história de Lucie, uma jovem atriz, que vive um romance escondido com Rafa, melhor amigo e colega de banda do seu irmão mais novo e absurdamente ciumento, Noah. Lucy e Noah moram juntos em uma casa na cidade, enquanto o restante da sua família vive no interior do estado. Os dois irmãos foram em busca dos seus sonhos, e eles de fato estavam se realizando. Ela estava prestes a estrear como a protagonista de um musical. E ele sairia em breve em turnê com a sua banda. A casa dos dois vivia cheia de amigos, ora do grupo de teatro de Lucy, ora da banda de Noah. Rafa e Lucy se encontravam nesses momentos, fingiam ser apenas amigos, mas davam suas escapulidas, dormiam juntos, sem que Noah e os amigos desconfiassem de nada. Confira a resenha completa aqui.

Confira a entrevista com a Livia e conheça mais um pouco dessa jovem autora:

Como a literatura entrou na sua vida?

Meus pais sempre incentivaram todo tipo de cultura na minha vida, de peças de teatro a livros, muitos livros. Então eu “leio”, nem que sejam meus pais lendo pra mim, desde que nasci praticamente. Mas tiveram duas obras na minha infância que me enlouqueceram e que eu não parava de ler nem um segundo: todos os gibis da Turma da Mônica, de Maurício de Sousa, e a coleção do Sítio do Pica-pau Amarelo, do Monteiro Lobato. Minha mãe tinha a coleção inteira do Sítio quando era pequena e eu herdei essa relíquia, e me lembro de passar horas, trancada no quarto lendo cada livro. E minha mãe fez assinatura dos gibis da Turma da Mônica de tão viciada que eu era!

O que é melhor: ler ou escrever?

Pra escrever bem é preciso ler muito, né? Eu diria que passei metade da minha vida lendo muito (muito mesmo!), mas depois que comecei a escrever mais, no final da adolescência e início da vida adulta, comecei a ler menos (porque estava tão empolgada escrevendo que me esquecia de ler!). Mas não dá pra escolher o que é melhor não.

Qual a principal marca da sua escrita, o que não pode faltar nas suas histórias?

Eu gosto muito da linguagem informal. Gosto de escrever do jeito que as pessoas falam e diria que isso é uma das minhas marcas. Também adoro referências! Séries, músicas, bandas, filmes, muita cultura pop que, pra mim, deixam o personagem mais “identificável”, porque acho que todo mundo gosta de saber que tem o mesmo cantor favorito do seu personagem fictício favorito! (eu gosto, pelo menos).

O que os leitores vão encontrar nos seus livros?

Muita reflexão! Hahahaha Minhas personagens estão sempre se questionando, pensando sobre a vida, que acho que é o que a gente faz o tempo todo, né?

Qual a responsabilidade de escrever para jovens.

Na verdade, eu não pensava sobre isso. Eu simplesmente escrevia o que eu precisava escrever; o que estava preso dentro de mim. Mas uma coisa que sempre fiz foi escrever de acordo com o que eu acho certo e tento deixar claro o que abomino, como qualquer tipo de preconceito. E então deixar a pessoa pensar sobre aquilo.

Sua inspiração para escrever, existe algum processo especial?

Música é sempre minha maior fonte de inspiração, porque tem umas músicas que parecem que estão gritando “vai lá escrever sobre mim!”. Mas o cotidiano, as coisas que eu vejo por aí, coisas que eu queria que acontecessem e outras que eu não queria que existissem, tudo isso vira inspiração. Sem contar os fatos que realmente acontecem e a gente acaba roubando pra colocar no livro hehehehe

De todos os seus personagens, qual o seu favorito?

O meu personagem favorito mesmo é do meu primeiro livro “Queria tanto”, e é o Fausto. Mas de “Coisas não ditas”, além da Lucie (óbvio!), tenho que escolher o Vinícius (apesar de ser MUITO difícil escolher entre os amigos da Lucie, porque cada um tem uma característica peculiar que eu adoro!).

Se pudesse escolher apenas um argumento para as pessoas lerem mais, qual seria?

Quando se lê, não importa o quê, a gente acaba adquirindo mais conhecimento, mais cultura, e assim sendo pessoas melhores. É bem ‘ET Bilu’ mesmo: busquem conhecimento.

O que teremos de Livia para o futuro? Quais projetos?

Tenho um livro já terminado que está inscrito em alguns concursos (inclusive está disponível na Amazon, em versão digital somente, e se chama “Nada sobre mim”). E outro que estou escrevendo, ainda sem título. Se tudo der certo, logo, logo eles estarão prontinhos pra todo mundo ler!

::Ping-Pong::

  1. Ler é… Conhecimento.
  2. Escrever… É libertador.
  3. Ser escritor hoje no Brasil significa? Ter muita persistência e não desistir nunca.
  4. Quem é seu autor (a) favorito? Posso citar cinco? Fernanda Young, Gillian Flynn, J.K. Rowling, Douglas Adams e Nick Hornby.
  5. Cite um livro que te marcou. Eu sou o mensageiro, do Markus Zusak. Fiquei impactada por semanas!
  6. Qual livro você mais releu? Todos da série Harry Potter, com certeza!
  7. Qual seu livro de cabeceira? No momento, o que não sai da minha mesa de cabeceira é “O livro dos ressignificados”, que todo dia abro aleatoriamente uma página e leio um poema. Mas não tenho um livro que leio sempre, não tenho o costume de ler várias vezes o mesmo livro (tirando os de Harry Potter mesmo).
  8. Último livro que deu de presente? Por quê? “O livro dos ressignificados”, do João Doederlein (ou AKA Poeta). Porque é um livro lindo e a pessoa para quem dei o livro é tão poética quanto os poemas do João. Mas se eu pudesse eu dava esse livro pra todo mundo, porque a gente tem que aprender a ressignificar as coisas que acontecem nas nossas vidas, principalmente as ruins.
  9. Uma frase que te inspira. É um trecho de uma música da banda Incubus, chamada “Warning”. “I suggest we learn to love ourselves before its made illegal” (Sugiro que aprendamos a nos amar antes que isso se torne ilegal, em tradução livre). E a letra inteira de “La vie bohéme”, do musical “Rent”.

Deixe o seu comentário

comentários

One Reply to “Livia Brazil é a autora do mês de dezembro”

  1. Parabéns,Lívia!!!
    Vc merece aonde chegou. Sou seu admirador desde vc criança. Acredite que você pode muito mais. 🎉🎉🎉🎉🎉🎉🎉😄📚🎊

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *