Escritoras que tornaram suas obras sucesso de público também nos cinemas

Não é de hoje que o cinema se aproveita da literatura pegando emprestadas grandes histórias. O Oscar, maior premiação cinematográfica do mundo, tem uma categoria somente para isso, “Roteiro Adaptado”, onde se dá visibilidade para roteiros que partiram da literatura.  Em geral um best-seller tem grandes chances de ir parar nas telonas, tendo em vista que os produtores entendem que as chances de lotar as salas de cinema são muito maiores, pois aquela história já tem seus próprios fãs, desejosos para ver a personificação dos seus personagens.

É claro, que para os escritores uma adaptação para o cinema também renderá frutos, além da venda dos direitos autorais e rendimentos de bilheteria, sua obra terá mais reconhecimento, as vendas dos livros podem aumentar, e a possibilidade de novas adaptações surgir. Tá aí o escritor americano Nicholas Sparks como grande exemplo, dos 21 livros publicados, 11 já foram parar nas telonas.

Uma adaptação literária é sempre alvo de polêmicas sobretudo por parte dos leitores, que sempre esperam certa fidelidade nas adaptações que nem sempre acontecem. Na coluna Livros x Adaptações trazemos alguns comparativos dos livros que viraram filme.

Analisando alguns dos grandes sucessos de bilheteria recente dos cinemas, listamos algumas escritoras que não contentes em ver suas obras baterem recordes de vendagem mundo afora, ainda viram suas histórias fazerem muito sucesso nas telonas e agregar uma legião de fãs apaixonados.

Esse texto não poderia começar por outra senão a inglesa J.K. Rowling, autora de uma das sagas mais famosas do mundo, “Harry Potter”. A autora publicou o primeiro livro em 1997 depois de muita recusa,  e daí em diante foi um boom mundial que a tornou famosa e milionária. Em 2001, “Harry Potter e a Pedra filosofal” chegou ao cinema acumulando ainda mais e mais fãs para o já gigantesco número que vinha dos livros. Até o encerramento da franquia nos cinemas, com “As Relíquias da Morte parte 2”, em 2012 a saga já acumulava cerca de 8,3 bilhões de dólares.

Outra inglesa que se tornou a queridinha dos leitores, graças a seus romances fofos foi Jojo Moyes. Ela já ganhou duas vezes o prêmio “Romance do Ano”, pela Associação de Romancistas de Londres, e,  mesmo tendo uma longa lista de livros, foi graças ao emocionante “Como eu era antes de você”, que ela se tornou famosa nas telonas. O livro foi adaptado em 2016, tendo os atores Emilia Clarke e Sam Claflin como os protagonistas Louisa Clark e Will Traynor. Não houve quem não se emocionasse ou  se apaixonasse com a história do casal e agora tanto os que conhecem a autora pelos livros ou pelas telas já se tornaram seus fãs.

Também é impossível falar de grandes escritoras que foram sucesso nas telonas sem se lembrar, claro, de Stephenie Meyer, autora da saga “Crepúsculo”, adorada ainda hoje por milhões de leitores. A história da inocente Bella que se apaixona pelo vampiro Edward e ainda se encontra às voltas com o lobisomem Jacob, rapidamente se tornou best-seller vendendo cerca de 120 milhões de livros, e chegou aos cinemas em 2008 ganhando ainda mais público. Em seguida, todos os livros da saga se tornaram filmes tendo seu épico final em 2012. Stephenie Meyer também é a escritora do thriller  “A hospedeira”, que se tornou filme em 2013, protagonizado pela talentosa Saoirse Ronan.

Suzanne Collins é uma escritora norte-americana que foi sucesso mundial devido a sua distopia “Jogos Vorazes”. Uma das primeiras autoras contemporâneas a embarcar no universo distópico, Suzanne criou um romance verossímil que logo começou a chamar atenção. O primeiro livro da trilogia foi lançado em 2008 e chegou às telonas em 2012, levando a história de Katniss Everdeen para os desavisados que ainda não conheciam a força dessa mulher. O primeiro filme foi muito bem recebido pela crítica e teve aprovação de 84% no RottenTomatoes (site de críticas especializado). Os quatro filmes arrecadaram cerca de 2,3 bilhões de dólares.

Veronica Roth foi outra escritora que chegou chegando no tema distopia. Autora da trilogia “Divergente”, ela ainda estava na faculdade quando vendeu os direitos do primeiro livro. Assim que chegou nas telonas a história agregou ainda mais a imensidão de fãs e ajudou a alavancar a carreira de Shailene Woodley que viveu a protagonista Tris. Os outros dois filmes da franquia, lançados no cinema: Insurgente e Convergente – parte 1, porém, não se saíram tão bem e o fim da saga nas telonas ainda está em suspenso.

Cassandra Clare ficou mundialmente conhecida depois de lançar a série “Os instrumentos Mortais” que até 2016 já havia vendido cerca de 1,6 milhões de livros somente no Brasil. Em 2013 o filme “Cidade dos Ossos” chegou aos cinemas protagonizado pela carismática Lily Collins e para alegria dos milhares de fãs que esperavam ansiosos pela adaptação. Ainda não se sabe, porém, sobre a continuação da franquia literária nos cinemas.

E por último, mas não menos importante, não poderíamos deixar de mencionar E.L. James, autora do best-seller erótico“Cinqüenta tons de cinza”. Ela o tornou acessível, levou até a mão de milhares e milhares de mulheres principalmente, que antes não tinham o hábito de ler e que o criaram depois da trilogia. A história da doce Anastasia e o bilionário transante Christian Grey ficou tão conhecida que só se falou nisso por muito tempo.  Quando o filme foi lançado todos os fãs dos livros correram para as salas de cinema para ver o casal, o que fez com apenas o primeiro filme faturasse cerca de 1,5 bilhão de dólares em bilheteria.  A parte final da história, “50 Tons de Liberdade”, que estreou no início deste ano teve uma arrecadação de 38,8 milhões, na estreia, apenas nos EUA.

Ficaremos na torcida por outras adaptações, seja de séries literárias ou livros solo. O fato é que a mulherada não tem brincado em serviço não, com muito talento e determinação, elas são sucesso nas páginas, nas telinhas e telonas. 

 

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *