Cheguei aos 30 anos!

Essa semana cheguei ao tão “falado” 30 anos e, não podia deixar de falar um pouquinho sobre a sensação de chegar a essa idade. Você devem se lembrar que quando minha coluna começou aqui no Literalmente, Uai!, o nome era “antes dos 30, com filhos”. Sempre compartilhei as dores, dúvidas, alegrias e diversão dessa fase com uma pequena do lado e hoje me vejo entrando em um novo ciclo, que vem como um separador de águas na vida de uma mulher, e espero estar pronta para aproveitar tudo que ele tem de melhor.

Como minha colega Áfia sempre relata em seus textos na coluna “Antes dos 30” quando vamos chegando próximo dos 30 anos, percebemos como nossas percepções e atitudes mudam. Já não ligamos tanto para o que os outros falam de nós, nos sentimos mais livres para fazer o que queremos da vida, entendemos que as pessoas mais velhas sempre tinham razão quando nos davam algum conselho que insistimos em não ouvir.

Cada pessoa é única, mas essa idade mostra como a maioria das pessoas compartilham de um mesmo sentimento ao chegar nessa fase.”

Trintei com uma comemoração ao lado de pessoas que amo e durante os preparativos para esse dia me peguei pensando. Acho que todas as pessoas que chegam a essa idade buscam fazer um balanço da vida (vocês foram assim também?). Nesse momento me lembrei de que quando era uma adolescente e imaginava minha vida adulta. Logo pensava em várias coisas que para mim era o que iria me completar e fazer feliz. Uma família linda, um bom emprego, carro, casa, dinheiro no bolso entre outras coisas.

No dia eu percebi que havia conquistado muito dos meus sonhos, mesmo que não fosse da mesma forma como eram nas minhas imaginações de criança, mas cheguei a essa fase me sentindo realizada e com o meu maior sonho nos braços, minha Maria!

Acho que quando temos filho tudo fica pequeno perto da gratidão de se tornar mãe!

No meu balanço constatei que cheguei nos meus 30 com alguns quilos a mais, uns cabelos brancos indesejados, umas ruguinhas insistindo em aparecer, dois vazios no coração (afinal, a vida segue seu curso e as pessoas que queremos que estejam sempre aqui, uma hora precisam ir para o céu), mas muito realizada e feliz por tudo que tenho e tudo o que sou!

Agora é viver essa nova fase, aproveitando todos os aprendizados que posso tirar dela para me tornar uma pessoa e uma mãe melhor a cada dia. Afinal, depois que tive filho, ser uma boa mãe é a uma das maiores prioridades da minha vida. rsrsr

Se você já chegou aos trinta conta pra gente o que você mais aprendeu nessa fase?

A coluna LiteralMente,mae! é publicada quinzenalmente aos domingos. As opiniões e fatos não refletem necessariamente a opinião de todas as mães, mas sim a vivência da colunista.

Quer trocar experiências comigo? Envie e-mail para gabriela@literalmenteuai.com.br

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *