Já ouviu falar em antologias de terror? Hoje o TerrivelMente vai trazer pra você alguns filmes nesse gênero que vem sendo muito difundido de alguns anos pra cá. Primeiro vou te contar que antologia é uma coleção de obras agrupadas por tema, ou por autor, ou até mesmo por datas. Pode ser na literatura, no cinema ou outros âmbitos artísticos. No cinema, uma antologia de terror é geralmente feita por um longa formado de alguns  curtas, ou seja, um filme dividido em histórias diferentes, mas que giram em torno de um tema principal. Eu escolhi para essa indicação, três dos filmes que mais gosto. Não pela qualidade da produção em si, porque alguns são bem despretensiosos neste sentido. Mas pela inovação, criatividade e, claro, o divertimento.

V/H/S 2 

Antologias de terror trash, você curte? Aqui temos quatro curtas onde o estilo é mais preponderante, então se você gosta, ok. Caso contrário é melhor partir pro próximo. Lançada em 2013,  a sequência se sobressai ao primeiro justamente pela pouca vontade de se levar a sério, mas vai aqui uma dica: não se prenda demais a qualidade técnica, a direção é bem preguiçosa.
Dois investigadores estão a procura de um estudante desaparecido quando encontram as fatídicas fitas e começam, claro, a assisti-las.

Na primeira história, um homem perdeu um dos olhos e aceita receber um implante com uma câmera.  O sinistro começa quando esse ‘olho’ passa a captar fantasmas ao seu redor.

No segundo conto um homem resolve colocar uma câmera em seu capacete antes de sair para pedalar. O problema é que no caminho ele é infectado por um vírus zumbi e a partir daí passamos a ver a história pelo ponto de vista do vilão e não o das vítimas que fogem desesperadas. Esse, sem dúvida, é o conto que deve ser menos levado a sério.

No terceiro curta, de longe o mais trash de todos, um grupo de jornalistas vão até a sede de uma seita religiosa na indonésia produzir um documentário e de repente eles se vêem no meio da maior insanidade e a maior surpresa é descobrir a verdadeira intenção da seita. Gosto muito desse conto por suas cenas de ação e, claro, pelo desfecho chocante.

A última narrativa é minha favorita, por causa, obviamente, dos aliens. Enquanto alguns jovens estão reunidos em casa sem os pais, eles começam uma invasão. Esse conto é bem movimentado e tenso, embora seja um pouco difícil compreender o que está acontecendo algumas vezes.

Veja o trailer:

 

X X 

Essa antologia de 2017 já nasceu clássica por ser a primeira totalmente dirigida (Roxanne Benjamin, Karyn Kusama, Annie Clark, Jovanka Vuckovic), roteirizada (Jack Ketchum, Jovanka Vuckovic, Roxanne Benjamin, Annie Clark, Karyn Kusama ) e protagonizada por mulheres. São quatro contos de terror, com temas que giram em torno dos sentimentos humanos, como a curiosidade, medo e o ‘instinto protetor’.  

The Box: Nesse conto que considero ser o melhor do filme, uma mãe viaja com os dois filhos inquietos no metrô, quando um deles resolve olhar dentro da caixa de presente que está nas mãos de homem desconhecido.  A partir desse momento a estranheza começa, tendo em vista que as crianças param de sentir apetite e rapidamente começam a definhar. Sempre que um conta para o outro o que havia na caixa, essa pessoa para automaticamente de sentir fome.  É angustiante ver o inferno que se torna a vida da família. E, claro, o grande mistério é descobrir o que há na caixa.   

The Birthday Party: Aqui vemos a história de uma mãe desesperada para conseguir esconder o corpo do marido que cometeu suicídio, bem no dia da festa de aniversário da filha. As tentativas dela de evitar que a menina veja o pai morto e fique pra sempre traumatizada, chegam a ser engraçadas, e acho que essa é exatamente a intenção da história.

Don’t Fall: Esse terceiro conto é o que mais se aproxima dos clichês de filme de terror: “um grupo de jovens acampando, quando algo terrível acontece e eles começam a morrer um por um”. A protagonista é mordida por algo demoníaco e logo fica completamente possuída. Este é o mais inferior dos três por não ser capaz de entregar nada de novo ao gênero.   

Her Only Living Son: O último curta vai narrar a história de uma mulher que deu a luz ao filho do Diabo. Isso mesmo! Agora, com 18 anos, ele está pronto para ir morar com o pai nas profundezas do inferno, e ele já está vindo para buscá-lo.  

Veja o trailer:

 

HOLIDAYS

A última de nossas antologias é de 2016, todos os curtas estão relacionados a feriados amplamente conhecidos, como dia dos namorados, páscoa, Natal, entre outros.  São sete histórias, cada uma ambientada em uma data e deliciosamente terríveis.

Dia dos Namorados: Nesse conto que segue uma linha meio ‘Carrie – a estranha’, uma adolescente é apaixonada pelo seu professor e ao mesmo tempo tem que lidar com o bullying constante das colegas. Claro, que a junção de horror e bullying só podia dar em muita insanidade.

Dia de São Patrício: Uma aluna bizarra atormenta a professora com olhares e atitudes estranhas. Mas o pior é quando a professora descobre que está grávida, só que isso não é bem uma coisa boa, ainda mais quando descobrimos o que ela espera. Com certeza esse é o mais trash, beirando ao tosco.

Páscoa: Nesse terceiro conto percebemos como a curiosidade excessiva pode nos trazer graves problemas. Uma garotinha decide ficar acordada para ver o coelhinho, só que ele não é nada do que se espera. Uma história surpreendente e, uma das melhores do filme.

Dia das mães: A narrativa do dia das mães já começa sendo subversiva com uma protagonista que está sempre fazendo abortos por engravidar todas as vezes que faz sexo. Isso mesmo! Ela então é sequestrada por uma espécie de ‘seita’, para levar a gravidez até o final. O maior problema é o que vai sair daquela barriga. Não gosto muito de como foi conduzido o andamento da história, mas gosto de como ela terminou.

Dia dos pais: No quinto conto, uma mulher recebe uma fita com a gravação de seu pai que ela achava estar morto. Ele lhe dá instruções de como podem se ver e, ela, claro, segue as pistas até um final surpreendente. Umas das histórias com o roteiro mais amarrado e conciso.

Dia das Bruxas: Três atrizes pornô que são maltratadas pelo seu agente decidem se vingar, simples assim. Esse curta que tinha grande potencial, tendo em vista a premissa interessante, não é bem roteirizado e no final, não passa de mais uma história clichê.

Natal: O conto de natal narra o que se torna a dia mais esperado do ano de uma família, depois de seu patriarca decidir comprar um presente bem caro pra sua filha. Rapidamente a data começa a ter ares bem sinistros e nada felizes. Mesmo sendo o mais arrastado, merece pontos positivos por sua reviravolta final. 

Veja o trailer:

 

Então, vamos aproveitar o final das férias para maratonar antologias de terror?!

Me conta aqui nos comentários se você já viu alguns dos filmes indicados. 

Confira mais posts da coluna TerrivelMente!

Até a próxima! =) 

As opiniões expressadas aqui são exclusivas da colunista. Entre em contato pelo e-mail josiane@literalmenteuai.com.br

 

Deixe o seu comentário

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *